As eleições regionais dos Açores realizam-se a 25 de Outubro
CDU é a alternativa política de futuro para os Açores

REGIONAIS A CDU entregou, no dia 9 de Setembro, a lista dos seus candidatos pelo círculos eleitoral da ilha de São Miguel e regional da Compensação às eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA).

No círculo eleitoral de São Miguel, a lista da CDU é encabeçada por Rui Teixeira (41 anos, professor), seguindo-se Vera Correia (31 anos, guia de turismo), João Almeida (24 anos, funcionário político), Beatriz Castro (39 anos, professora), Maria Costa (51 anos, professora), Ricardo Tavares (39 anos, administrativo apontador), Margarida Veiga (40 anos, técnica superior de segurança no trabalho), André Palmeiro (46 anos, tradutor e revisor de conteúdos), Lizardo Melo (41 anos, serralheiro de alumínios), Cátia Benedetti (58 anos, funcionária política), Pedro Silva (40 anos, oficial de placa aéreo), Duarte Melo (63 anos, taxista), Ana Brasil (65 anos, funcionária pública), Francisco Dias (68 anos, doméstico), Jorge Franco (69 anos, operário fabril), Helena Tomé (54 anos, assistente operacional), Mário Silva (70 anos, engenheiro silvicultor), Carlos Ribeiro (65 anos, docente universitário), Maria Melo (68 anos, doméstica) e Dulce Dias (25 anos, desempregada). A lista é ainda composta por outros 13 candidatos suplentes.

Marco Varela (44 anos, operário e Coordenador Regional do PCP), Rui Teixeira e Paula Decq Mota (ambos com 41 anos, professores), António Fonseca (58 anos, funcionário político) e Luísa Corvelo (37 anos, professora) são, respectivamente, os primeiros cinco candidatos da CDU pelo círculo regional da Compensação, que tem como suplentes Pedro Amaral (51 anos, gestor) e Dulce Correia (44 anos, professora).

Na entrega das listas, Rui Teixeira lembrou que a CDU apresenta «um programa dirigido aos que foram sempre afastados dos interesses da governação do PS ou do PSD/CDS», aos açorianos que «pagaram com o seu suor e sofrimento cada uma das crises e que viam uma minoria a continuar a engordar os seus rendimentos» e que «acham que é tempo de uma nova política».

Marco Varela destacou que a «eleição de um Grupo Parlamentar» da CDU na ALRAA «é um factor decisivo e essencial para concretizar essa tão desejada e necessária mudança nos Açores». «Reforçar a CDU é a melhor garantia de que se acaba com a maioria absoluta (do PS) e se abre caminho a uma política de esquerda para o nosso arquipélago», reclamou.

Também Henrique Levy, mandatário regional da candidatura, sublinhou que as listas de candidatos da CDU «são a voz do povo açoriano na sua luta diária pelo cumprimento dos seus direitos e na batalha quotidiana pela melhoria das suas condições de vida». «Os Açores, pelas suas condições únicas, podem e devem liderar a transformação nacional para uma economia verde, sustentável e socialmente mais justa, que fomente uma gestão inteligente dos seus recursos endógenos, assegurando a melhoria das condições de vida das gerações vindouras», assegurou, concluindo: «Os candidatos da CDU são os representantes do povo açoriano a erguer a voz em defesa da preservação do ambiente, do emprego com direitos e das justas reivindicações dos açorianos, travando a ânsia dos sucessivos governos regionais em privatizar recursos públicos e naturais».

Provocar a mudança em Santa Maria
Na outra ilha do Grupo Oriental dos Açores, Santa Maria, a lista da CDU, composta por Dulce Correia (44 anos, professora), Osvaldo Travassos (43 anos, técnico de telecomunicações aeronáuticas) e Vítor Ciríaco (46 anos, professor), entre outros candidatos, foi entregue no dia 8 de Setembro.

Na ocasião, Marco Coelho, mandatário da lista, sublinhou a importância de explicar a todos os eleitores que o objectivo destas eleições não é eleger o presidente do Governo Regional, mas sim deputados que, no Parlamento açoriano, deverão representar os interesses e os anseios de cada ilha.

Propostas para as ilhas do triângulo

Num documento divulgado no início de Setembro, a CDU considerou ser «importantíssimo» que o Governo Regional dos Açores «dê um sinal claro de que pretende investir na Escola do Mar», no Faial, designadamente em recursos humanos, em número e qualidade, o que permetiria «tornar a escola numa verdadeira referência nacional».

Esta instituição – reinaugurada em Agosto de 2020 – não abriu portas durante o ano lectivo de 2019/2020, tendo apenas sido anunciada a formação de nadadores salvadores em 2021. Na altura em que a nota foi feita, os cursos propriamente ditos, quer de nível secundário, quer de nível superior, estavam ainda por anunciar.

«Infelizmente, a área da educação não tem sido valorizada. É preciso vontade política para investir nesta área, na educação, e nesta ilha», considera a Coligação PCP-PEV, alertando, também, para a «dificuldade» de, ano após ano, fixar professores e formadores que tenham outras áreas de residência.

Sobre o anúncio do Governo Regional de aquisição dos prédios da Radio Naval da Horta, que a CDU considera «bastante positivo», refere-se que esta foi uma proposta apresentada pelo PCP, há cerca de sete meses, que mereceu o chumbo da maioria PS e do CDS. «Consideramos que a Escola do Mar, a par da vertente ligada ao ensino, deverá destacar-se como entidade com capacidade de certificação profissional, nas mais variadas áreas ligadas ao mar», defende a Coligação de comunistas e ecologistas.

As críticas da CDU estendem-se, ainda, à falta de investimento em energias renováveis na ilha do Faial, alegando que esse tipo de energia ficou abaixo dos 15 por cento do total produzido na ilha em 2019.

No dia 11, foi entregue a lista dos candidatos da CDU pelo circulo eleitoral à ilha do Faial, encabeçada por Paula Decq Mota (42 anos, professora), seguida de André da Costa Goulart (27 anos, auxiliar de secretário), Maria Alvarina Céu (51 anos, empresária agrícola) e José Fernandes (64 anos, militar reformado).

A CDU defende, por exemplo, a criação de um passe social único e intermodal nas ilhas do triângulo, «consagrando-o como título válido em todos os operadores de transporte colectivo nessas ilhas, assegurando que um único passe permita a utilização de todos os meios de transporte colectivo». «O preço deverá ser fixado num valor acessível para os utentes e deverão ser criados bilhetes multimodais válidos em todos os operadores», reclama a Coligação PCP-PEV, sublinhando a «necessidade de readaptar e reestruturar o Plano Integrado de Transportes, de forma a agilizar e facilitar a mobilidade de todos os utentes».

São Jorge
Em São Jorge, a lista da CDU é constituída por Pedro Pessanha (51 anos, gestor), António Machado (27 anos, trabalhador-estudante) e Noélia Teixeira (45 anos, ajudante sócio-familiar). António Machado é, igualmente, mandatário da lista. Para esta ilha a CDU defende a criação de condições para a fixação dos médicos de família, apoiar as três escolas de São Jorge nas suas necessidades de manutenção e equipamentos, bem como incrementar os apoios à produção/comercialização hortícola e frutícola de São Jorge e, ainda, apostar na excelência do queijo e leite de São Jorge, demarcando-o de todos os outros queijos e leites açorianos.

Pico
Daniela Jacobs
(40 anos, enfermeira), Ernesto Rodrigues (60 anos, ex-trabalhador da COFACO), Maria Silva (70 anos, professora aposentada) e Lídio Rosa (55 anos, assistente operacional) são, respectivamente, os candidatos efectivos da CDU pelo círculo eleitoral da ilha do Pico. A entrega das listas decorreu no passado dia 11.

Segundo a primeira candidata, só uma política construída na base daquelas que são as necessidades dos cidadãos poderá reverter a actual situação, marcada pela perda de influência no contexto regional.

António Fonseca encabeça lista pelo círculo eleitoral da Terceira

Na ilha Terceira a lista da CDU, entregue no passado dia 10, é composta, respectivamente, por António Fonseca (58 anos, funcionário político), Maria Gouveia (50 anos, auxiliar de acção médica), António Inocêncio (63 anos, telefonista), Bruno Santos (40 anos, operador de hipermercado), Diana Ourique (40 anos), Else Reis (47 anos, assistente operacional), Lino Inocêncio (44 anos, assistente administrativo), Cláudia Fournier (42 anos, enfermeira), Nelson Silva (47 anos, assistente administrativo), Cidália Borges (46 anos, assistente técnica), a par de outros seis candidatos suplentes. António Pedro Inocêncio é, também, mandatário da lista.

Transportes e acessibilidades
Um dos principais problemas da ilha prende-se com os transportes, designadamente os aéreos e marítimos. Reagindo ao possível cancelamento das rotas da Ryanair para a Terceira, bem como a suspensão da rota Terceira-Boston e Terceira-Toronto, em nota de imprensa, comunistas e ecologistas lembram que a ilha Terceira «tem perdido influência a todos os níveis», sendo por isso necessário «mudar de políticas» e «devolver à Terceira o seu lugar no contexto regional», o que «só se consegue com os devidos planeamento, investimento, gestão e fiscalização».

Também a situação no transporte marítimo «não tem tendência a melhorar», uma vez que o poder regional «não só promove políticas centralizadoras, como desrespeita completamente as mais elementares regras de tratamento equitativo de todos os açorianos». As críticas dirigem-se aos «constrangimentos provocados pelas diversas obras que o Governo Regional encetou a poucos meses das eleições», nomeadamente no Porto das Pipas, por não ter existido «planeamento para o embarque dos passageiros e a organização daquele espaço», e nas gares da Madalena e Graciosa, «onde as pessoas recebem as suas bagagens no chão do cais».

A CDU defende ainda que a linha Branca deve ser regular e anual, «não existindo justificação para a inexistência de uma ligação marítima regular com o Grupo Central».

Trazer a mudança para o Corvo e as Flores

Marco Varela, Mário Braz e Vitória Costa são, respectivamente, os primeiros nomes da lista da CDU pelo círculo eleitoral do Corvo, entregue no passado dia 10. Nesta ilha do Grupo Ocidental, para bem dos açorianos e dos corvinos, o objectivo passa por eleger um deputado da CDU para que a Assembleia Legislativa Regional reflicta, com maior rigor, a representatividade dos diferentes sectores económicos e sociais existentes na Região.

No mesmo dia foi entregue a lista da CDU pelo círculo eleitoral das Flores, composta, respectivamente, por Luísa Corvelo (38 anos, professora), Susete Mendonça (32 anos, cuidadora de idosos em IPSS) e Horácio Cravinho (42 anos, assistente operacional), entre outros cidadãos. Segundo a CDU, a desertificação é um dos maiores problemas com que a ilha das Flores se depara, lado a lado com a desigualdade, a pobreza, a falta de emprego para os jovens, as dificuldades das pequenas e médias empresas, as dificuldades no acesso aos cuidados de saúde, os baixos índices de escolaridade, o envelhecimento da população, entre outros. Entre outras soluções, a CDU avança com a atribuição de incentivos e criação de mais habitações.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: