Perseguição na CM Lisboa

Para contestarem a perseguição a dois delegados sindicais, trabalhadores da Divisão de Matas da Câmara Municipal de Lisboa, algumas dezenas de representantes concentraram-se segunda-feira nos Paços do Concelho. «Ambos os delegados sindicais, João Robalo e Nuno Nunes, têm sido desde 2009 sistematicamente perseguidos, intimidados e chantageados pelas respectivas chefias, através de processos disciplinares e ameaças», acusa o Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa, que promoveu a concentração, em conjunto com o Sindicato da Função Pública do Sul e Açores.

O STML/CGTP-IN afirma que «o clima persecutório tem decorrido com impunidade e com a conivência dos responsáveis do Departamento de Ambiente e Espaços Verdes, da Direcção Municipal do Ambiente Urbano, do vereador responsável, Sá Fernandes, e do próprio presidente da CML, apesar das inúmeras diligências desenvolvidas pelas estruturas sindicais no sentido da resolução deste grave problema».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: