Guardas-florestais manifestam-se dia 8

Para dia 8 de Setembro está convocada uma manifestação nacional de guardas-florestais, em Lisboa, com início às 11 horas, no Largo do Carmo, junto ao quartel-general da GNR, seguida de desfile até ao Terreiro do Paço, frente ao Ministério da Administração Interna.

Esta jornada de luta, suportada com um pré-aviso de greve de 24 horas, foi anunciada anteontem, dia 23, pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais.

A decisão de passar a acções de luta tinha já sido anunciada no dia 18, porque na véspera o secretário de Estado da Administração Interna tinha recusado, em nome do Governo, negociar com a federação da CGTP-N a reversão do processo de extinção da carreira de guarda-florestal e a atribuição de suplementos remuneratórios decorrentes das condições específicas desta. A federação revelou que aquele governante tinha ainda dito «não» mais quatro vezes: pagamento dos retroactivos da aplicação do novo Estatuto, de Novembro de 2015 a Março de 2016; regulamentação da licença por mérito; correcção do artigo 49.º do Estatuto, para eliminar uma injustiça relativa; e correcção do Anexo II, por haver uma gralha na publicação oficial.

Para a federação, «insistir no erro da extinção da carreira de guarda-florestal não é defender a floresta». Mas o Governo «insiste neste erro, como insiste em manter os guardas-florestais numa situação de subvalorização no SEPNA/GNR».

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: