1883 – Viagem inaugural do Expresso do Oriente

Descrito como um «palácio sobre carris», o mítico Expresso do Oriente saiu de Paris rumo a Istambul, a 4 de Outubro, com duas carruagens-cama, uma carruagem-restaurante e dois furgões. Entre os convidados, individualidades e jornalistas, não havia senhoras, ao que consta por «motivos de segurança». O conforto e a rica decoração do comboio rende os passageiros. Um jornalista do Times, na sua crónica, manifesta a sua «satisfação» com a «suavidade do andamento», o que «permite que se faça a barba confortavelmente, mesmo a 80 km/h». Mas o que mais atrai as atenções é a novidade da carruagem-restaurante, com os seus copos de cristal e talheres de prata, vinhos de excelência e sofisticados pratos a cargo de um «chefe». Em Viena, um passageiro mais destemido embarca com a mulher e a cunhada, e assim é também inaugurado o «compartimento para senhoras». A 7 de Outubro o comboio chega ao porto romeno de Giurgevu, onde termina a linha. A partir daí a viagem faz-se por barco e comboio normal, até Istambul, onde os viajantes ficam alguns dias. O regresso inicia-se no dia 13, retomando o Expresso do Oriente na Roménia. A viagem termina com a entrada na agora Gare de L’Est, em Paris, três dias depois. A ligação directa a Istambul só foi estabelecida em 1889.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: