<font color=0093dd>CDU é melhor!</font>
Prosseguindo a intensa actividade que manteve no Parlamento Europeu nos últimos cinco anos, a CDU está por todo o País, a contactar os trabalhadores, a juventude, os reformados, todos aqueles que sofrem com a política deste Governo, afirmando as suas propostas para um «outro caminho para Portugal e para a Europa». Em centenas de iniciativas – encontros, visitas, almoços e jantares, comícios ou sessões de esclarecimento – os candidatos e activistas da CDU, são incansáveis portadores de uma nova política, que rompa com o neoliberalismo, o federalismo e a guerra que avançam pela Europa.
Mas Portugal também é Europa. E a condenação e a denúncia da política do Governo PSD/PP, e dos interesses que serve, é uma constante da campanha da CDU. Denunciando os ataques aos direitos e interesses dos trabalhadores, ao aparelho produtivo nacional e aos serviços públicos, estando mais uma vez ao lado de quem luta contra esta política, a CDU afirma-se – sem as cedências de uns ou as incoerências de outros – como a mais firme força na luta por um outro rumo para o País, que teria claros reflexos no rumo seguido pela União Europeia.
Nas conversas com as pessoas, nas ruas ou à porta das empresas, afirma-se que é importante derrotar o Governo o mais depressa possível. Mas é também dito que não é indiferente em quem se vota, pois o voto na CDU tem uma dupla validade: contribui para a derrota dos partidos da coligação governamental e é ao mesmo tempo a mais segura opção para dar força à reclamação de uma nova política em Portugal e na Europa. Votar CDU é reforçar quem mais tem trabalhado no Parlamento Europeu em defesa dos interesses nacionais, na defesa do emprego e da produção, dos serviços públicos de qualidade, da melhoria das condições de vida dos trabalhadores, da paz e cooperação com os povos do mundo.
A vibrante volta a Portugal dos candidatos da CDU, com especial destaque para a cabeça de lista Ilda Figueiredo, mas também para Sérgio Ribeiro, Odete Santos e Heloísa Apolónia, continua, incansável, até sexta-feira à noite, no comício na Praça da Figueira, em Lisboa. Em centenas de distribuições, visitas, encontros, conversas. Fazendo com que nenhum voto na CDU falte no dia 13.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: