Aterro Sanitário do Seixal
O mau funcionamento do Aterro Sanitário do Seixal está a reflectir-se em todas as áreas nas imediações do aterro e a preocupar as populações afectadas, que de dia para dia perdem qualidade de vida: são os intensos odores nauseabundos, o ruído das máquinas, especialmente no período nocturno, as poeiras e a existência anormal de vários tipos de insectos, roedores e gavotas.
Face às queixas dos moradores, no início do ano foi efectuada uma auditoria à exploração do Aterro Sanitário, que acabou por confirmar os problemas denunciados e apontou várias deficiências no funcionamento do aterro. Face aos resultados da auditoria, o então ministro do Ambiente, Amílcar Theias, quando da inauguração da unidade de recuperação de Biogás do Aterro Sanitário, propôs a criação de uma comissão de acompanhamento da resolução de problemas, em que participariam moradores, Câmara Municipal do Seixal e Junta de Freguesia da Amora.
Acontece que neste momento, muitos meses passados sobre todo este processo, todos os problemas se mantêm, agravando potenciais riscos para a saúde.
A Comissão de Freguesia da Amora do PCP, em nota divulgada no passado dia 18 de Setembro, denuncia o facto de não só a referida comissão não estar ainda a funcionar como, contrariando o prometido, estar a pretender-se afastar os moradores da sua composição.
O PCP exige, assim, que o Governo assuma as suas responsabilidades na resolução dos problemas detectados no Aterro Sanitário do Seixal e concretize o funcionamento imediato da comissão de acompanhamento, com a participação dos moradores.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: