Comunicado do Comité Central do PCP
Luta de massas <br>é factor de transformação
O Comité Central do PCP, reunido a 16 de Outubro de 2006, procedeu a uma análise da situação política nacional e às consequências da intensificação da ofensiva do Governo do PS contra direitos e conquistas sociais, designadamente com o agravamento económico e das condições de vida daí decorrentes, tendo decidido convocar para o final do segundo semestre de 2007 a realização de uma «Conferência Nacional sobre a Situação Económica e Social», destinada a proceder a uma avaliação circunstanciada da situação e a apresentar a política alternativa indispensável ao País e ao seu futuro. O Comité Central examinou o desenvolvimento da luta dos trabalhadores e do povo português em geral, e sublinhou a importância e significado do grandioso Protesto Geral do dia 12 de Outubro. Avaliou ainda a concretização da acção de reforço da organização do Partido e definiu as principais linhas de trabalho para a sua actividade no futuro imediato.

PROTESTO GERAL
Mais de cem mil pessoas manifestaram-se em Lisboa

Protesto crescente exige mudança
Muitos milhares de trabalhadores da Administração Pública e do sector empresarial desfilaram, no dia 12, durante quase quatro horas, da baixa de Lisboa para a Assembleia da República, fazendo do «protesto geral pela mudança de políticas, convocado pela CGTP-IN, a maior manifestação laboral desde há duas décadas. Nas palavras de ordem gritadas pelos manifestantes e nas intervenções dos dirigentes sindicais sobressaiu a determinação de prosseguir a luta, com o ênfase colocado na defesa da Segurança Social pública, universal e solidária.

PROTESTO GERAL
Decisão aclamada a milhares de vozes

Ampliar o protesto e a luta
O protesto dos trabalhadores «tem que ser cada vez mais amplo, tem que assumir dimensões de luta profissional, de empresa ou serviços, de nível sub-sectorial, sectorial, regional e nacional numa grande unidade e de convergência de esforços no sentido de dar mais força à luta mais geral», apela a CGTP-IN, na moção aclamada frente à Assembleia da República, no dia 12.

PROTESTO GERAL
Uma grande participação

PROTESTO GERAL
Administração Pública unida e em luta

Os direitos defendem-se agora!
Depois do sério aviso ao Governo, no dia 12, os trabalhadores do Estado vão para a greve a 9 e 10 de Novembro, porque a luta não pode parar.

PROTESTO GERAL
Jerónimo de Sousa:

«Um grande êxito»

PROTESTO GERAL
Saudação da FSM

PROTESTO GERAL
Outras lutas, a mesma luta

A manhã da construção