Sargentos resistem à perseguição
A Associação Nacional de Sargentos decidiu interpor uma providência cautelar contra a pena aplicada a dez militares, por terem participado no «passeio do descontentamento», a 23 de Novembro.
A ANS revelou que dez sargentos da Força Aérea, entre os quais se encontram o presidente e o vice-presidente da associação, vão cumprir entre cinco e sete dias de detenção, a partir de ontem, nas respectivas unidades.
A providência cautelar baseia-se em dúvidas de constitucionalidade da pena, já que, na perspectiva da ANS, estão em causa, direitos, liberdades e garantias dos militares, bem como na interpretação do decreto que regula as associações militares.
Na conferência de imprensa, anteontem, o director do jornal da ANS apelou a que os sargentos, hoje, fiquem nas suas unidades para jantar, como gesto de solidariedade com os camaradas punidos. No dia 21, quarta-feira, os sargentos da Grande Lisboa reúnem-se num encontro de solidariedade, assinalando o fim dos períodos de detenção.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: