Alemanha veta obrigações europeias

Num artigo publicado, na segunda-feira, 6, no jornal britânico Financial Times, o presidente do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, e o ministro italiano das Finanças, Giulio Tremonti, defendem a emissão de obrigações europeias «E-bonds» para contrariar a pressão dos mercados sobre as dívidas dos estados que integram a moeda única europeia.

Os dois responsáveis preconizam ainda a criação imediata de uma agência europeia da dívida, vendo nesta uma resposta firme à crise da zona euro e um sinal claro dos estados em favor da união económica e monetária.

Todavia, o projecto depara-se para já com a oposição da Alemanha, país que mais tem ganho com o euro, mas que se mostra relutante em apoiar um sistema comum. Em entrevista ao mesmo jornal, o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, considera que as obrigações garantidas conjuntamente pelos estados europeus não são uma boa solução, porque exigiriam «modificações fundamentais» dos tratados europeus.

No entanto, o ministro conservador afirma-se como um defensor da moeda única, e não esconde as razões: «Todos os alemães seriam mais pobres sem o euro. No mercado de trabalho, a situação seria bem mais grave sem o euro».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: