A juventude assume a luta

Image 7086

A Interjovem foi parte muito substancial do pulmão e do coração da manifestação nacional da CGTP-IN.

«Queremos trabalho, exigimos direitos» foi frase central que anunciou a passagem da juventude. Logo a seguir, desfilaram os bolseiros de investigação científica e centenas de jovens que, em placas alusivas, repudiavam os recibos verdes e reclamavam um contrato efectivo imediato. Bombeiros com contratos precários também levaram o seu protesto a Lisboa, à semelhança de milhares de jovens trabalhadores da Administração Local, funcionários públicos, enfermeiros e professores. Foi também muito considerável a participação de jovens trabalhadores do sector privado, efectivos, com recibos verdes ou abrangidos por outras formas de precariedade, muitos dando conta de lutas em curso nas suas empresas, serviços e sectores. A todos foi comum a determinação de comparecer na próxima jornada: a manifestação nacional de jovens trabalhadores, no dia 1, pelas 14.30 horas, da estação Metro do Intendente ao Cais do Sodré.

Outras iniciativas assinalam também o Dia Nacional da Juventude, que se celebra a 28 de Março.





 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: