Crescer nas empresas

A III Assembleia da Organização do Sector de Empresas de Lisboa, realizada recentemente, debateu aprofundadamente as medidas a tomar para reforçar a organização e intervenção do Partido nos locais de trabalho da capital. Partindo do princípio de que «é na empresa que os trabalhadores se confrontam com a principal contradição do capitalismo – a natureza social da produção e a propriedade privada dos meios de produção», os comunistas realçam a importância da luta por objectivos concretos na consciencialização dos trabalhadores. As tarefas centrais para o futuro são a dinamização da luta, o reforço da organização unitária e a criação de organização do Partido nas empresas.

Ao nível da estruturação partidária, a assembleia decidiu criar um organismo intermédio para o sector da Hotelaria e Turismo, que «permita desenvolver um trabalho de maior proximidade com a organização do Partido no terreno». Na Vigilância e Limpeza, há que prosseguir com o trabalho desenvolvido no sentido da criação de um organismo de direcção que alargue o contacto com os trabalhadores, «tendo em conta o objectivo central de reforço do sindicato e do seu carácter unitário e de classe».

Já para as Grandes Superfícies, é proposta a criação de um organismo de direcção que abarque vários locais de trabalho, «tendo em conta o quão difícil tem sido manter a organização nalguns locais, devido à intervenção activa do patronato». No sector de Serviços, a existência de muitos jovens militantes dá boas perspectivas para crescer, adianta a resolução. A «necessidade de discutir melhor o nosso sector industrial» e repensar o funcionamento do organismo da Construção Civil, «tendo em conta a nova realidade de deslocalização das maiores empresas do ramo para fora da cidade» são outras linhas de orientação definidas.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: