A mudança de política é possível e necessária nos Açores
Continuar a luta, levando-a até ao voto

Image 11105

João Decq Mota, agente de exploração portuária, sindicalista e membro do Comité Central do PCP, é o primeiro candidato da CDU pela Ilha do Faial às eleições regionais, que se realizam no dia 14 de Outubro.

Na apresentação pública, que aconteceu no dia 1 de Agosto, o cabeça de lista, dirigindo-se aos faialenses, começou por lembrar que o desemprego, a perda de rendimentos, a redução dos salários, os cortes nas pensões, o encerramento de serviços públicos, a paralisação dos investimentos e a estagnação do desenvolvimento da ilha «não são inevitáveis» e que «a mudança de política é possível e necessária», com «o reforço da CDU no Faial» e «em todas as ilhas».

«Recorde-se que ao longo dos últimos 30 anos foram o PS, o PSD e o CDS que estiveram no Governo Regional e no Governo da República. Foram estes e não outros que tomaram as opções erradas que agora tão amargamente pagamos. Foram estes e não outros que alimentaram clientelas, que encheram o aparelho do Estado de boys e amigalhaços. Foram estes e não outros que preferiram esbanjar milhões para ganhar votos em vez de os investir no desenvolvimento e na modernização», afirmou João Decq Mota, acusando o PS, o PSD e o CDS de, «depois de arruinarem o País», terem assinado «um pacto para entregar o que resta ao estrangeiro, arruinando em nome da troika a vida de todos os portugueses».

«Não podem agora estes partidos, nos Açores, comportar-se como se não tivessem nada a ver com isto. Foram eles próprios que arruinaram o País e a Região», acrescentou.

O candidato da CDU defendeu por isso que «é tempo de mudar e eleger deputados que não devam favores a ninguém, nem tenham medo de enfrentar seja quem for para cumprir a vontade de quem os elegeu». «Os faienses sabem que é aqui, na CDU, que vão encontrar essa coragem, essa coerência e essa firmeza. Nunca vacilámos no passado quando se tratou de exigir o investimento necessário para desenvolver a nossa ilha, quando se tratou de criticar as políticas centralistas que procuram concentrar em Ponta Delgada os equipamentos, as gentes e a riqueza dos Açores», acentuou, exigindo, para o Faial, a «variante à cidade da Horta», a «construção do novo quartel de bombeiros», a «melhoria das ligações marítimas com as ilhas do triângulo», a «expansão da marina» e, entre outros, a «extensão da pista do aeroporto».

Aumento do desemprego

Por seu lado, Aníbal Pires, primeiro candidato da CDU pelos círculos de S. Miguel e de Compensação, alertou para os números do desemprego e para o despedimento colectivo da Fábrica Corretora, em S. Miguel. «Num momento em que PS, PSD e CDS tudo fazem para aumentar a exploração dos trabalhadores, para impor mais sacrifícios e empobrecer ainda mais os açorianos, a CDU, pelo contrário, apresenta um candidato que está profundamente ligado à luta por uma vida melhor, à defesa dos direitos de quem trabalha e à exigência de uma outra política», salientou Aníbal Pires, referindo-se a João Decq Mota.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: