Braga
CDU defende valorização

Uma delegação da candidatura da CDU, integradando Carlos Almeida e Carla Cruz, cabeças de lista à Câmara e Assembleia Municipal de Braga, visitou, na passada semana, o Convento de S. Francisco, em Real. Acompanhada pelo vereador da tutela, Hugo Pires, e pelo arqueólogo responsável da Câmara Municipal, os candidatos puderam constatar, por um lado, o estado de degradação do edifício do Convento e, por outro, a necessidade de uma intervenção urgente de reconstrução e requalificação.

Apesar de ainda constar nas Opções do Plano do Município para 2013, o projecto de construção da nova Pousada da Juventude está agora posto de parte para aquele local, uma vez que os responsáveis do município optaram por outra localização. Desta forma, fica adiada, uma vez mais, a recuperação de um dos mais significativos valores patrimoniais do concelho de Braga, que, em tempos, chegou também a ser pensado como centro de estudos medievais.

No entanto, em resultado desta visita e da troca de impressões com o vereador, a delegação da CDU foi informada da possibilidade de a Câmara de Braga, em articulação com a Direcção Regional da Cultura, recorrer a fundos sobrantes do QREN, tendo em vista a recuperação integral do Convento de S. Francisco.

Face a tal possibilidade, a CDU considera oportuna a discussão da futura funcionalidade do Convento, tendo como principal condição a garantia de fiel preservação do edificado, bem como da musealização das ruínas.

Valorizar o desporto

No dia 8, Carlos Almeida reuniu com a Direcção do Soarense Sport Clube, que deu a conhecer ao candidato a falta de apoio para a construção de uma nova sede, mesmo havendo já terreno, projecto e promessa da autarquia para o efeito. Os dirigentes do clube alertaram ainda para o estado do campo da Mata da Ordem, que foi alvo de intervenção nas Parcerias Público Privadas e cujo piso sintético não sofreu ainda nenhum tipo de manutenção desde a sua inauguração.

A CDU de Braga reclama uma articulação maior entre a Câmara Municipal e as juntas de freguesia no apoio aos clubes de forma a valorizar mais a formação e a prática desportiva. «Entendemos que deve haver uma política de desporto clara e transparente, sem discriminações entre clubes e com uma rede de apoio capaz de suportar as estruturas e associações que desenvolvem este trabalho na cidade, capacitando-as de mais condições e recursos para cumprirem o seu papel de envolvimento junto das populações», defende a Coligação.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: