«É tempo
de voltarmos
a ter eleitos
pelo Faial»
Reforçar e fazer crescer a CDU no Faial
Vale a pena lutar <br>por um futuro melhor

João Decq Motta, primeiro candidato pelo círculo eleitoral do Faial, alertou para o «aumento das dificuldades» dos faialensese e apelou ao voto na CDU «para que não fique tudo na mesma».

João Decq Mota, na apresentação pública da lista, que aconteceu no dia 25, destacou que a «melhoria das condições de vida dos açorianos é a principal prioridade da CDU», sendo esta a «questão essencial para o desenvolvimento harmonioso de cada ilha e da Região».

Neste sentido, destacou o candidato, uma das propostas da Coligação PCP-PEV passa pela «valorização do trabalho, com o aumento dos salários, das pensões e reformas, permitindo o aumento substancial do poder de compra dos açorianos e um verdadeiro fomento sustentado da economia regional».

Valorizando a acção do deputado da CDU na última legislatura, «trazendo ao debate parlamentar as questões que interessam e preocupam os trabalhadores e os sectores mais desfavorecidos da sociedade açoriana», João Decq Mota sublinhou que «agora é a oportunidade de reforçar esta posição».

«A eleição de deputados da CDU é boa para a democracia e sobretudo para os açorianos, que sabem que podem contar com a CDU, porque para nós o que conta são as pessoas», afirmou o candidato, acentuando: «É tempo de voltarmos a ter eleitos pelo Faial, deputados de palavras, que cumpram os seus compromissos e prestem contas a quem os elegeu».

Para além de João Decq Motta, 57 anos, agente de exploração portuário e dirigente sindical, a lista da CDU é composta por Lourenço Azevedo, 53 anos, motorista marítimo do navio de investigação; Paula Decq Mota, 37 anos, professora; Mário Serpa, 52 anos, assistente técnico e dirigente sindical; José Liduíno do Céu, 52 anos, pescador; Maria Fernanda Silva, 66 anos, professora; Maria Manuela Fernandes, 53 anos, empregada; José Liduíno da Rosa, 33 anos, agricultor; Marília Silva, 34 anos, assistente técnica; Elisabete Melo, 36 anos, marinheira; Pedro Freitas, 39 anos, oficial de operações de socorros; Rui Rodrigues, 38 anos, empregado bancário.

Eleições decisivas

O mandatário da candidatura da ilha do Faial é José Decq Mota. «As próximas eleições regionais serão decisivas para se saber se, sim ou não, se verificará nos próximos anos alterações significativas e positivas na política regional, que visem melhorar a qualidade de vida das pessoas e repor uma perspectiva de desenvolvimento harmonioso e equilibrado de toda a Região, perspectiva essa que hoje está, na prática, abandonada e substituída por centralismos internos selectivos e destruidores das potencialidades de muitas ilhas», sublinhou o mandatário.

José Decq Mota destacou, por outro lado, a «ocasião soberana» que as próximas eleições darão aos faialenses para «reclamarem e exigirem que as políticas sectoriais e de investimento nesta ilha sejam decididas e executadas com uma qualidade e um ritmo que estão ausentes desde há vários anos, facto este que tem empurrado, paulatinamente, o Faial para uma espécie de “limbo” do desenvolvimento da Região».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: