CDU quer um sector produtivo mais forte no Pico
«Temos lugar para todos na nossa luta»

Sérgio Gonçalves é o primeiro candidato da Coligação PCP-PEV pelo círculo eleitoral da ilha do Pico. Na apresentação da sua candidatura, no dia 26, o cabeça de lista afirmou a necessidade de «mudar de políticas» e «lutar para que mais uma vez a nossa ilha não fique afastada do investimento».

«A eleição de deputados da CDU é essencial para reforçar a nossa intervenção no parlamento regional», disse Sérgio Gonçalves, reforçando: «A candidatura da CDU quer chegar mais longe e para isso precisamos de todos, dos indecisos, dos que habitualmente não votam, dos desiludidos e dos que deixaram de acreditar nas políticas do PS, do PSD e do CDS».

«Temos lugar para todos na nossa luta pela valorização do trabalho, aumento de salários, pensões, reformas, o fomento sustentado da economia regional, a reforma do nosso sistema de saúde, que no caso do Pico está caótico», destacou, reclamando a «facilitação de escoamento dos nossos produtos que têm uma qualidade de excelência e reconhecida além fronteiras».

Numa altura em que é preciso «arregaçar as mangas», Sérgio Gonçalves defendeu que os jovens devem «trabalhar e dar o seu contributo na terra onde nasceram», que é preciso «acabar com os abusos de programas ocupacionais e estágios que são grande parte das vezes uma forma de exploração e de precariedade» e, no sector produtivo, «defender o que é nosso» e ser «verdadeiros com os nossos agricultores e pescadores».

PIT é ineficaz

No mesmo dia, 26, Aníbal Pires, deputado do PCP no Parlamento Regional, terminou uma visita de dois dias à Ilha do Pico, onde manteve contactos com a população e com instituições oficiais. Aos jornalistas, o também cabeça de lista da CDU pelo círculo eleitoral de São Miguel informou que o Plano Integrado de Transportes (PIT) dos Açores, aplicado pelo Governo Regional, do PS, «na prática não funciona». «Se, de facto, o plano estivesse devidamente estruturado não teriam acontecido algumas situações de profundo incómodo para os passageiros, como por exemplo ficar a bagagem para trás», disse, à Lusa, Aníbal Pires, acrescentando que «o aumento da população flutuante no Verão veio pôs a nu estas insuficiências».

Apesar de reconhecer melhorias, especificamente no transporte marítimo nas denominadas ilhas do triângulo (Faial, Pico e São Jorge), o deputado defendeu que estas poderiam e deveriam ser potenciadas, apontando a necessidade, por exemplo, de se intensificar as ligações marítimas entre as Velas (São Jorge) e São Roque (Pico).




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: