Apurar factos e responsabilidades

O PCP considera que «não deverão ser elementos circunstanciais a determinar opções que afectem a organização das Forças Armadas». Num comunicado emitido na segunda-feira, 12, a propósito dos acontecimentos ocorridos com a prova de instrução de formação de tropas comando, da qual resultaram dois mortos e outros instruendos a necessitar de cuidados médicos, o Partido assume que o cumprimento das missões constitucionais das Forças Armadas exige «militares com diferente preparação militar, o que inclui a existência de tropas especiais».

Lamentando os acontecimentos e expressando às famílias dos jovens falecidos as suas condolências e às dos restantes a sua solidariedade, o PCP defende o apuramento cabal e a retirada de consequências do sucedido. Por mais dura que seja a formação, realça, ela «tem de ter como limite a segurança dos envolvidos».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: