Utentes exigem o fim da PPP com a Fertagus

Mais de uma centena de personalidades e instituições já subscreveram o manifesto «Basta de PPP (parceria público-privada) com a Fertagus, queremos o serviço integrado na CP», promovido pela Comissão de Utentes dos Transportes da Margem Sul.

«Com o terminar do contrato de concessão à Fertagus da exploração comercial da ligação ferroviária entre Lisboa e Setúbal pela Ponte 25 de Abril em 2019 está aberta uma oportunidade de pugnar pelo fim desta experiência, integrando o serviço na CP», defende o documento, que vai ser entregue nos próximos dias ao Governo e na Assembleia da República.

TST e Transtejo
Na passada semana, a comissão de utentes esteve reunida com as administrações da TST e da Transtejo. Junto da TST alertou-se para o calor que se faz sentir dentro dos autocarros (que não têm janelas), bem como para a supressão de algumas carreiras que servem as praias. Apontado foi também a existência de carreiras que não aceitam o passe social, como a 151 (Charneca de Caparica-Marquês de Pombal) e 159 (Lisboa-Marisol).

Na reunião com a Transtejo foram apresentadas as propostas e reclamações dos utentes que utilizam este transporte fluvial. As críticas estenderam-se à degradação dos cais de embarque de Cacilhas e Trafaria e aos problemas de higiene e manutenção da frota envelhecida.

Em nota de imprensa divulgada posteriormente, a Comissão considera que o Executivo PS «deve apoiar financeiramente a Transtejo, incentivando o crescimento da empresa em meios humanos e materiais, de modo a que esta possa desempenhar condignamente o seu papel no desenvolvimento dos concelhos da Margem Sul e da Área Metropolitana de Lisboa». Também a Câmara Municipal de Almada «deverá assumir uma atitude mais reivindicativa junto do operador rodoviário (TST) e do Governo, no sentido de termos um melhor serviço de transportes públicos», afirmam os utentes.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: