Continuam a juntar-se organizações à preparação do Encontro pela Paz
Encontro pela Paz é já no próximo sábado em Loures

MOVIMENTO DA PAZ A dois dias da realização, no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, do Encontro pela Paz, são cada vez mais as organizações e pessoas que se associam a esta importante iniciativa.

Nascido do apelo do Conselho Português para a Paz e Cooperação, o Encontro pela Paz contou desde o início com o apoio de outras organizações e entidades, como a Câmara Municipal de Loures, o Movimento de Municípios pela Paz, a CGTP-IN, a Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto, a Liga Operária Católica, a Fenprof, a URAP, o MDM, a Juventude Operária Católica, o MPPM e a Pastoral Operária. Na abertura dos três temas em debate – Paz e Desarmamento, Cultura e Educação para a Paz, Solidariedade e Cooperação – intervirão representantes de todas estas estruturas, seguindo-se amplos espaços de debate aberto.

A preparação e realização do Encontro pela Paz, contudo, nunca foi assumida como um processo fechado e os seus promotores mantiveram o apelo para que mais organizações e movimentos colaborassem no seu êxito. Foi o que fizeram A Voz do Operário; Associação Conquistas da Revolução; Associação de Amizade Portugal-Cuba; Associação de Cubanos Residentes em Portugal; Associação Nacional de Sargentos; Associação Portuguesa de Amizade e Cooperação Iúri Gagarin; Associação Portuguesa de Deficientes; Associação Portuguesa de Juristas Democratas; Associação Projecto Ruído; câmaras municipais de Évora, Gaia, Montemor-o-Novo, Porto, Seixal e Soure; Cáritas Portuguesa; Confederação dos Quadros Técnicos e Científicos; Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais; Inter-Reformados; juntas das uniões de freguesia de Laranjeiro/Feijó e Caparica/Trafaria (ambas no concelho de Almada); Liga dos Amigos das Minas de S. Domingos; Liga Portuguesa dos Direitos Humanos – Civitas; Movimento Erradicar a Pobreza; Organização dos Trabalhadores Científicos.

Para além das intervenções de abertura dos painéis, a cargo dos representantes das organizações promotoras, estão confirmadas muitas outras, de personalidades das mais diversas áreas profissionais e associativas, representantes ou não dos movimentos e estruturas associados ao encontro.

O Encontro pela Paz decorre entre as 10h30 e as 17h00 e, para além das intervenções e do debate, terá momentos musicais e culturais e pavilhões das organizações promotoras e de entidades locais. Há autocarros a partir do Porto, Seixal, Almada e Coimbra e um vai-vem entre a estação do Senhor Roubado e o local do Encontro, assegurado pelo município de Loures. Mais informações em www.facebook.com/encontropelapaz2018 ou para o endereço de correio electrónico encontropelapaz@cppc.pt.

Razões para participar

Na mais recente edição do boletim do CPPC, Notícias da Paz, os presidentes da direcção nacional do CPPC e da Câmara Municipal de Loures, respectivamente Ilda Figueiredo e Bernardino Soares, realçam a importância e singularidade do Encontro.
A primeira garante que ele é «consequência da crescente actividade em defesa da paz, do desarmamento, da solidariedade e dos princípios da Carta das Nações Unidas e da Constituição da República Portuguesa», que se alargou nos últimos anos. Para Ilda Figueiredo, a gravidade da situação internacional torna urgente «uma convocatória geral para a defesa da paz e reforçar os movimentos pela paz com uma grande abertura a todas as pessoas de boa vontade». O Encontro pela Paz, acrescenta ainda, «não é um fim em si mesmo», mas um «momento importante de envolvimento de pessoas e organizações empenhadas para troca de experiências e reflexões».
Na visão do autarca, a realização do Encontro em Loures tem acrescida importância por aí coexistirem «mais de 120 nacionalidades», o que o município entende como «uma riqueza que tem acrescentado valor à acção municipal, principalmente assente no conceito de interculturalidade, de partilha e cooperação, de respeito e interacção entre todos». Do Encontro, Bernardino Soares espera que resulte um reforço dos laços entre os vários intervenientes e participantes e uma «maior consciencialização do conteúdo do artigo 7.º da Constituição da República Portuguesa».

Programa do Encontro

9h30: Recepção aos participantes
10h30
: Sessão de Abertura
10h45: Paz e Desarmamento
12h45: Almoço no local
14h00: Momento cultural
14h15: Cultura e Educação para a Paz
15h30: Solidariedade e Cooperação
16h45: Encerramento e momento musical

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: