PCP e PEV querem mais com mais CDU

Comunistas e ecologistas fazem um balanço positivo da sua intervenção nesta legislatura e salientam que sem as forças políticas que compõem a CDU, muitos dos direitos e rendimentos repostos não o teriam sido. Isso mesmo disseram Jerónimo de Sousa e Heloísa Apolónia no final de um encontro de trabalho, na sede do Partido Ecologista «Os Verdes», que teve na mira as batalhas eleitorais de 2019 – para o Parlamento Europeu, para a Assembleia Legislativa Regional da Madeira e para a Assembleia da República.

«Consideramos que o reforço da CDU é determinante para que possamos promover políticas de qualidade de vida das pessoas e de desenvolvimento do País», referiu a dirigente e deputada do PEV, que acusou o PS de «muitas vezes, se constituir como um travão [a mais e novos avanços]».

Já o Secretário-geral do Partido, acompanhando a importância de reforçar a CDU para avançar (até porque, frisou, nesta nova fase da vida política nacional ficou provado que é possível e necessário ir mais longe), realçou que nesta legislatura «saiu muito valorizada a intervenção e acção do PCP e do PEV».

Valeu por isso a pena ter «participado neste processo», acrescentou, antes de manifestar confiança de que nas urnas seja reconhecido o facto de o «primeiro e principal compromisso» dos comunistas ter sido e continuar a ser «com os trabalhadores e o povo portugueses, e não com o PS».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: