A IX AORL está a ser preparada em todas nas organizações do distrito
Comunistas do distrito de Lisboa preparam assembleia reforçando o Partido

REFORÇO A preparação da IX Assembleia da Organização Regional de Lisboa do PCP, que se realiza a 16 de Fevereiro no Fórum Lisboa, prossegue em todo o distrito, contribuindo para o reforço do Partido.

A Assembleia, que tem como lema «Mais força ao PCP! Alternativa patriótica e de esquerda», visa a prestação de contas às organizações do Partido, a definição de orientações de trabalho para os próximos anos e a eleição da nova Direcção da Organização Regional de Lisboa (DORL).

No Projecto de Resolução Política em discussão nas organizações partidárias do distrito contextualiza-se a realização da Assembleia no plano internacional e nacional. Relativamente ao contexto, são aspectos a ter em conta a crise estrutural do capitalismo e sua natureza; a resistência dos trabalhadores e dos povos; os recentes desenvolvimentos da União Europeia e a necessidade de defender os direitos, o desenvolvimento e a soberania nacional; as eleições legislativas de 2015 e o afastamento do governo de PSD e CDS; a nova fase da vida política nacional, seus avanços e limites; a ruptura com a política de direita e a necessidade de construir uma alternativa patriótica e de esquerda, com um governo que a concretize; o reforço do PCP do ponto de vista político, social e eleitoral.

No documento em análise propõe-se à assembleia a definição de seis objectivos centrais para o reforço do Partido: a ligação às massas; o reforço da organização e intervenção nas empresas e locais de trabalho; as organizações locais, papel das comissões de freguesia e a luta das populações; o recrutamento, a integração dos militantes, a militância e a formação ideológica; a independência financeira e, em particular, a quotização; a informação, agitação e propaganda.

O projecto aborda também a acção dos 5000 contactos, a sua importância e a necessidade da sua continuidade; o reforço e a ligação das células de empresa; a renovação e rejuvenescimento das comissões de freguesia e linhas para o desenvolvimento da luta das populações; a compra e leitura do Avante! e de O Militante; a importância de se ter a quota em dia e de aumentar o seu valor; a melhoria de funcionamento dos Centros de Trabalho; as medidas para uma maior intervenção e iniciativa das organizações na actividade de propaganda.

Organizar e intervir

O Projecto de Resolução Política destaca ainda a luta dos trabalhadores e o papel das comissões de trabalhadores e do movimento sindical unitário, a luta das populações, o trabalho do Partido com camadas e sectores específicos, como quadros técnicos, intelectuais, juventude, pequenos e médios empresários e agricultores, reformados. O trabalho político unitário e a intervenção dos comunistas em estruturas como as colectividades, os bombeiros, o movimento da paz, as IPSS ou as associações de pais é também abordado no documento. Reflecte-se ainda sobre a acção institucional nas autarquias, o trabalho dos deputados comunistas e as próximas batalhas eleitorais para o Parlamento Europeu e para a Assembleia da República.

Em discussão estará também a nova DORL, propondo-se que na sua composição haja uma maioria de operários e empregados (reforçando-se a componente operária), mais elementos vindos de células de empresa, mais mulheres e um maior número de membros com tarefas de organização e ligação a organizações de massas.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: