Todos os conteúdos da exposição são completamente originais
Espaço Ciência de novo na Atalaia com rigor e exactidão

CONHECIMENTO O espaço da Ciência na Quinta da Atalaia volta a apresentar-se ao público para mais uma edição da Festa do Avante!, este ano abordando o tema Adições e Dependências». A programação é para todas as idades.

«Já tínhamos feito várias exposições na área da saúde, mas nunca tínhamos abordado este tema», revelou Augusto Flor, membro da direcção da Festa. No ano em que a Estratégia Nacional de Combate às Toxicodependências celebra 20 anos, decidiu-se marcar a efeméride elegendo «Adições e Dependências» como o tema do espaço nesta edição.

Como sempre, a elaboração e construção do Espaço Ciência vai responder aos critérios há muito definidos, assegurou-nos Augusto Flor. Em primeiro lugar, os conteúdos das exposições voltam a ser da completa responsabilidade da Festa do Avante!. A originalidade dos conteúdos é outro dos critérios presentes: mesmo que sejam, como são, elaborados com a colaboração parcial de algumas instituições, é aquele grupo de trabalho que, em coordenação com a direcção da Festa, cria de raiz todos os elementos textuais e visuais apresentados ao público.

Outra preocupação a que o Espaço Ciência procura sempre responder é o interesse, a utilidade social e a importância do tema tratado em cada uma das edições. Para o grupo de trabalho do Espaço Ciência, é importante que cada um dos visitantes que por ali passe se questione e reflicta acerca das questões expostas. O rigor científico com que os vários materiais das exposições são elaborados é, também, um ponto de honra. É por isso que se procura parcerias com várias entidades especializadas nas matérias.

Este ano, está já projectada uma colaboração com o SICAD – o Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências. Apesar disto, os conteúdos das exposições, ao mesmo tempo que apresentam um grande rigor, mostram também uma certa perceptibilidade para que todos os visitantes os possam perceber na íntegra. «Queremos que pessoas especializadas na matéria se revejam naquilo que fazemos, mas ao mesmo tempo queremos ter uma linguagem acessível a toda a gente», declarou Augusto Flor.

Um espaço de aprendizagem
para toda a família

É com estes critérios de excelência que se organiza anualmente o Espaço Ciência, que conta não só com várias exposições mas também com uma secção dedicada às crianças, concebida em conjunto com militantes com experiência profissional na área da pedagogia e que prima pela sua interactividade. A isto, somam-se ainda os vários suportes visuais de vídeo espalhados pelo espaço e os debates em que participam especialistas nas mais variadas áreas. O Espaço Ciência deste ano contará com quatro debates, divididos entre sábado e domingo.

Motivos, perigos
e prevenção das adições

A exposição deste ano, contou-nos Emília Costeira, membro do grupo de trabalho, vai ser dividida em vários módulos. Cada um destes tratará um tema (ou sub-tema) mais específico. No caso do «módulo 2», este tratará a temática das Substâncias Psico-activas. «Dentro das substâncias psico-activas, temos várias. Desde as lícitas às ilícitas. Algumas destas, consumimos até quase diariamente e socialmente como o álcool ou o tabaco. Depois, temos outras que têm áreas de consumo muito específicas, como a cocaína ou a canábis», esclareceu.

Este módulo não tratará apenas em pormenor as próprias substâncias. Também será feita uma análise dos factores que as tornam apetecíveis para o consumidor. «Todos temos características fisiológicas no nosso corpo que nos levam a consumir algo», afirmou a responsável pelo módulo, acrescentando que, no entanto, existem «certos grupos que procuram o consumo de uma substância específica, como os adolescentes, ou adultos em áreas de trabalho de muito stress».

Sendo este o módulo mais abrangente da exposição, ainda tratará as várias consequências que podem surgir do uso abusivo destas substâncias, tanto físicas como sociais, o tratamento das dependências, e por fim a prevenção.

Apesar de o álcool ser também uma substância psico-activa, Alice Ligeiro explicou-nos que se decidiu dedicar-lhe um módulo específico pelo consumo generalizado que existe do mesmo. O tema será apresentado como uma viagem entre o álcool como substância de celebração até à doença.

Outro módulo será o «Jogo/ecrã» que tratará as adições aos jogos interactivos, vídeo-jogos, ou ainda outro tipo de tecnologias, como os telemóveis. João Galhano, responsável pelo tema, explica-nos que a utilização destes equipamentos pode trazer-nos muitas vantagens, mas que muitas vezes a falta de uma boa gestão do tempo de utilização começa a transformar a utilização e as vantagens em dependência e consequências nefastas.

Augusto Flor conta-nos como é que várias ciências sociais podem ser utilizadas para observar estas adições, o que constituirá o tema de outro módulo. Desde a História e a Antropologia à Sociologia e Psicologia, cada uma destas ciências pode e tem oferecido um contributo muito rico à análise dos vícios e dependências.

O Espaço Ciência costuma contar todos os anos com uma visão do tema eleito anualmente através das Artes e das Letras. Este ano não será diferente, assegurou-nos Alice Figueira. Mais uma vez, será possível visualizar nesta exposição vários exemplos de como as substâncias psico-activas são percepcionadas pela literatura, pelo cinema, pela pintura e desenho, escultura, teatro, música e fotografia.

Por fim, o último módulo abordará o longo trabalho e intervenção que o PCP tem nesta área. Desde o seu contributo na elaboração da Estratégia Nacional de Combate às Toxicodependências, à actualidade, com as propostas já presentes no novo programa eleitoral.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: