Greve na Parques de Sintra – Monte da Lua

A greve de dois dias na empresa Parques de Sintra – Monte da Lua começou esta segunda-feira com forte adesão e muitos dos trabalhadores em luta participaram de manhã em duas concentrações, no Palácio Nacional de Sintra e, em seguida, junto do Ministério das Finanças.

Organizados no STAL/CGTP-IN, os trabalhadores da empresa de capitais públicos (município e Administração Central) que gere os monumentos e parques históricos do concelho de Sintra exigem: a integração, como efectivos, de todos os cerca de 160 trabalhadores com vínculos precários; uma tabela salarial que considere a antiguidade no serviço, um salário mínimo de 850 euros e progressões a cada três anos; a semana de trabalho de 35 horas, sem adaptabilidade nem «banco» de horas; aumento da retribuição do trabalho suplementar, do subsídio de refeição (acabando com desigualdades) e do abono para falhas; 25 dias de férias anuais, com majoração por antiguidade e por «férias frias».

Cristina Cruzeiro, Cláudia Madeira e Beatriz Goulart, candidatas da CDU pelo círculo eleitoral de Lisboa, estiveram com os trabalhadores em luta, reafirmando o apoio das forças que integram a coligação PCP-PEV.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: