• Correia da Fonseca

Bater-lhes

Voltemos a um triste tema: num destes dias, a televisão informou-nos de que num chamado «lar» para idosos, desta vez lá para o norte do país, os velhos ali internados são frequentemente vítimas de agressões físicas de diversa intensidade. Não é a primeira vez, longe disso, que os telenoticiários nos trazem notícias semelhantes, e parece justificar-se que todos os telespectadores lhes sejam sensíveis por uma razão largamente partilhável: é que, como aqui já foi lembrado, velhos somos todos nós, tudo sendo apenas uma questão de tempo. Apesar disso, porém, não parece que as operadoras de TV se importem muito com o fenómeno que além do mais é um evidente sinal de cobardia. Como bem se sabe, os casos de violência doméstica exercida sobre as mulheres são tema de frequentes telenotícias obviamente condenatórias, até de contabilização e estatística, assim se desenhando uma atitude de indignação que bem se justifica. Com a agressão a velhos não se vai tão longe, ainda que a mera notícia do facto já envolva um tácito motivo para nos indignarmos. Assim se justificará a suspeita de uma ampla distância, nesta matéria, entre a frequência dos factos e a da sua presença noticiosa. O que implica naturalmente uma sugestão de irrelevância.

Um tema à nossa espera

É sabido ou muitas vezes apenas adivinhado que as agressões a velhos ocorrem frequentemente em meio familiar. Nem por isso são menos indignantes, é claro, até serão mais infames. Porém, que aconteçam nos «lares» onde frequentemente são despejados os velhos é mais surpreendente porque então se suscita a responsabilidade do Estado através de organismos cujas tarefas hão-de incluir uma vigilância atenta. No caso de que a televisão deu imagens ficámos na ignorância de eventuais sanções. É certo que com alguma frequência a TV nos dá notícia do encerramento de um ou outro «lar», mas sempre por deficientes condições de instalação, nunca por confirmada suspeita de maus tratos. Neste quadro, abre-se um espaço onde investigações telejornalísticas podem ser uma contribuição preciosa para a erradicação da violência exercida sobre os velhos. Já que uma das operadoras de TV que diariamente nos visitam parece ter-se especializado na investigação de escândalos de diversa ordem, será de esperar e desejar que um destes dias se lembre dos velhos agredidos. Talvez que os que ainda não são velhos mas para lá caminham lhes fiquem gratos pelo esforço.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: