Chile: agravamento da crise social

No Chile, no meio da emergência sanitária e do aprofundamento dos problemas económicos e sociais, a Unidade para a Mudança, aliança que integra o Partido Comunista do Chile, o Partido Progressista e a Federação Regionalista Verde Social, apela a que não haja cedências perante a pressão do governo da direita, que não tem em conta as suas propostas, sobretudo em matéria económica e laboral.

O presidente de direita, Sebastián Piñera, propôs um «grande acordo nacional» para, segundo afirmou, enfrentar e vencer a pandemia de COVID-19.

O apelo do Presidente surge quando o avanço da pandemia nas últimas semanas deitou por terra as políticas governamentais na saúde e economia, responsáveis por uma gravíssima crise social.

Num contexto em que aumentam os protestos populares, nomeadamente em bairros de Santiago do Chile, as propostas de Piñera, apoiadas pelos partidos de direita que suportam o governo, foram recebidas com cepticismo pelas forças da oposição.

PC do Chile em defesa
de Hugo Gutiérrez

A direita reaccionária está a tentar afastar do parlamento o deputado comunista Hugo Gutiérrez e para tal «recorreu ao Tribunal Constitucional, (…) severamente desprestigiado e carente de legitimidade popular e sem representação democrática» – denuncia o Partido Comunista do Chile, face ao pedido de destituição daquele parlamentar.

Numa declaração do seu Comité Central, o PC do Chile lembra que Hugo Gutiérrez «tem uma história ampla em defesa dos direitos humanos, que começa na luta contra a ditadura de Pinochet, continua na década de 90 e se mantém até hoje». É também um impulsionador da batalha por uma nova Constituição política pela via de uma assembleia constituinte e assente na soberania popular.

«A verdadeira razão desta tentativa persecutória é que se pretende tirar ao povo do Chile um deputado que sempre actuou em defesa dos interesses populares», realça a declaração.

Os comunistas chilenos alertam que esta acção direitista «é parte de um plano autoritário mais amplo, regressivo e reaccionário da direita e do seu governo, que procuram reduzir ainda mais os poucos espaços democráticos que restam no Chile».

PCP solidário

Denunciando a campanha antidemocrática em desenvolvimento no Chile, em que se insere a perversa acção visando destituir o deputado do Partido Comunista do Chile, Hugo Gutiérrez, o Partido Comunista Português expressou numa mensagem enviada ao PCC o seu veemente repudio por tais intentos e apelou à denúncia e condenação dos graves atropelos às liberdades e direitos que tem lugar no Chile.

Ciente dos desafios colocados à luta do povo chileno contra a política anti-social e escalada autoritária e repressiva do Governo das forças reaccionárias, dirigido pelo Presidente Pinera, o PCP reafirmou a solidariedade dos comunistas portugueses ao Partido Comunista do Chile e aos trabalhadores e povo chileno na luta travada em defesa dos seus direitos, pela liberdade e a democracia, pelo progresso social.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: