Évora
Repor a verdade
A Câmara Municipal de Évora aprovou, recentemente, as taxas do Imposto Municipal sobre Imóveis para 2006. Em cima da mesa estava uma proposta do PS que mantinha as taxas actuais para todo o concelho, com excepção das freguesias do centro histórico e rurais, onde se verificava uma redução de 10 por cento nas referidas taxas.
A CDU, através da vereadora Jesuína Pedreira, propôs alternativamente que a referida redução abrangesse também as maiores freguesias urbanas (Canaviais, Bacelo, Horta das Figueiras, Sr.ª da Saúde e Malagueira), tendo em conta que é nessas cinco freguesias que se encontram a maioria das empresas e onde vive maioritariamente a população do concelho. Votadas alternativamente, a proposta que obteve maioria foi a apresentada pelo PS.
Com base nestes factos e, foi posta a circular a notícia que os vereadores da CDU teriam votado contra a redução da taxa do IMI. A verdade, porém, é outra. Os vereadores da CDU pretendiam que essa redução fosse aplicada a todo o concelho e não apenas às freguesias do Centro Histórico e rurais. Foram os vereadores do PS, com a abstenção do vereador do PSD, que votaram contra a redução generalizada da taxa do IMI.
A CDU exerce na Câmara Municipal de Évora uma oposição de proposta e disponibilidade para resolver os problemas do nosso concelho e defender os interesses dos cidadãos. Bastaria a publicação do comunicado, aprovado por todos os eleitos, distribuído pela CME, onde os factos estão relatados com objectividade, para evitar as tentações «interpretativas» que levaram à «notícia» do voto contra à redução do IMI pelos vereadores da CDU.


 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: