Greve na imprensa alemã

Cerca de três mil jornalistas e outros trabalhadores da imprensa concentraram-se, dia 9, em Frankfurt, em defesa das 35 horas semanais, contra a redução de salários e pelo fim do trabalho temporário.

Desde finais de Abril já se realizaram mais de 170 greves no sector, organizadas pelos sindicatos Ver.di e pelo Sindicato dos Jornalistas (Deutsche Journalist Verband, DJV).

As razões de tão forte mobilização prendem-se com a ofensiva patronal para alterar as convenções colectivas e degradar as condições de trabalho. Entre outros objectivos, destaca-se a redução das tabelas salariais em cerca de 25 por cento para os jornalistas em início de carreira, o aumento do horário para as 40 horas semanais, bem como a redução dos subsídios de Natal e de Férias.

A imprensa alemã emprega perto de 160 mil trabalhadores, dos quais 14 mil redactores em jornais. Dado o impasse das negociações, os sindicatos prometem continuar as acções de luta.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: