Conhecer os problemas

Os deputados do PCP ao Parlamento Europeu, Ilda Figueiredo e João Ferreira, visitaram os distritos do Porto, Viana do Castelo e Braga no final da semana passada, participando em diversas iniciativas e encontros.

O programa dos deputados do PCP no distrito do Porto foi extenso e dedicado, no dia 23, ao futuro da ligação ferroviária Porto-Vigo. Em dois encontros, com a administração da CP e com o presidente da CCDR-N, a delegação comunista reafirmou a importância da existência de uma ligação ferroviária Porto-Vigo moderna para fortalecer a cooperação com a Galiza e constituir um elemento dinamizador de uma economia fortemente debilitada.

No sábado, os dois deputados participaram noutras tantas sessões públicas: Ilda Figueiredo esteve em Bustelo, Recarei, a defender a manutenção da distribuição de água na esfera pública, ao passo que João Ferreira esteve em Gaia a falar sobre a crise, os «mercados» e as alternativas.

No debate, que contou ainda com a participação de Ricardo Costa, eleito da CDU na Junta de Freguesia, e Paulo Macieira, da Comissão Concelhia de Paredes, Ilda Figueiredo sublinhou a importância da água enquanto serviço fundamental e necessário à vida humana, que não pode estar sujeito às regras do lucro e das negociatas financeiras. A deputada realçou a existência de fortes pressões, em Portugal como noutros países da UE, para a privatização da água.

Já João Ferreira, no outro debate, identificou os pontos comuns entre Portugal e a Grécia, concluindo que as medidas que estão a ser aplicadas no País são meras repetições de erros já praticados no passado – além da Grécia, na Argentina ou no Equador. É com a luta dos trabalhadores, das populações, das massas populares, que se poderá inverter este rumo, conclui-se.

No distrito do Porto, os deputados contactaram ainda com comerciantes e clientes do Mercado do Bolhão e com pescadores em Matosinhos e estiveram reunidos com a direcção da Adega Cooperativa de Amarante.

Em Guimarães, Ilda Figueiredo e João Ferreira encontraram-se com trabalhadores desempregados, ouvindo em primeira mão depoimentos relativos a vários encerramentos fraudulentos de empresas da região. Conceição, de 54 anos e com um filho de 25, desempregada da FIDAR, contou que passará a receber o subsídio social de desemprego, no valor de 335 euros. «Há três semanas que não compro os medicamentos», acrescentou a trabalhadora, revelando as consequências concretas das políticas de direita.

No sábado, participaram na sessão pública que teve como lema Defender os Estaleiros Navais de Viana do Castelo, que teve lugar nesta cidade minhota. Promovida pela Organização Regional de Viana do Castelo do PCP e dedicada à defesa daquela unidade industrial, a iniciativa contou com a presença de mais de cem pessoas, a maioria delas trabalhadores dos Estaleiros. Foi reafirmada nas diversas intervenções aí proferidas a solidariedade do PCP para com a luta dos trabalhadores contra a destruição daquela empresa símbolo da construção naval em Portugal, contra os despedimentos anunciados e contra a sua privatização.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: