CM Lisboa arquiva processos

O vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa assumiu perante os sindicatos da CGTP-IN o compromisso de que vão ser arquivados os processos disciplinares que visaram cerca de oito dezenas de trabalhadores da Limpeza Urbana, nas garagens dos Olivais.

A instauração dos processos, por aqueles trabalhadores terem recusado, de forma espontânea, vazar os carros do lixo, na noite de 14 de Julho e na manhã de dia 15, foi condenada pelo STAL e pelo STML como uma tentativa de intimidar e limitar a luta naquele sector. Valorizaram, a propósito, os resultados positivos alcançados com a greve parcial de uma semana, iniciada a 11 de Junho, e a manifestação realizada a 2 de Julho até ao gabinete do presidente da Câmara, no Largo do Intendente.

Os trabalhadores e os seus sindicatos mantêm as reivindicações de pagamento das ajudas de custo (suplemento do subsídio de alimentação), quando das deslocações em serviço à Valorsul, e de um acréscimo de 25 por cento sobre o trabalho extraordinário nocturno.

Perante a ofensiva do Governo contra todos os trabalhadores da Administração Pública e face às intenções de privatização de serviços, para o que poderá servir também a reorganização administrativa da cidade, os sindicatos alertam os trabalhadores para as duras batalhas dos próximos tempos, apelando à unidade, coesão e solidariedade.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: