Agosto de greve na <i>Portway</i>

A realização das greves de 24 horas, nos dias 15, 17 e 31 de Agosto, e das greves ao trabalho suplementar, em todos os demais dias desta quinzena, abrangendo todo o serviço da Portway, foi confirmada segunda-feira pelo Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos.

A decisão de partir para esta luta nesta empresa, que assegura serviços de handling nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e Funchal, tem a ver com o processo de revisão salarial de 2010, que acabou por ser dirimido em arbitragem voluntária, solicitada pelos sindicatos – o Sitava e o Simamevip (ambos da CGTP-IN), e o Sindav, o Sintac e o STHA – e que foi aceite pela administração.

O tribunal arbitral emitiu, a 12 de Setembro de 2011, um acórdão a determinar uma actualização salarial de 0,8 por cento, com efeitos a Abril de 2010, mas a administração da Portway, instruída pela ANA e pelo Governo que nomeia os administradores, decidiu recorrer da decisão. A razão dos trabalhadores ganhou mais força com o recente acórdão do Tribunal Constitucional sobre os cortes salariais na Administração Pública e no sector empresarial do Estado.

Os trabalhadores reivindicam ainda, «a seu tempo», ser ressarcidos do roubo dos subsídios de férias e de Natal. Para o Sitava, «estas greves têm de ser também a demonstração efectiva de que não se aceita qualquer condição de esbulho sobre parcos salários».

No comunicado em que reafirmou o apelo à greve, o sindicato protestou contra o excessivo volume de «serviços mínimos», decretados, em especial no aeroporto de Faro (12 voos, num total de 16 previstos, nos dias 15 e 31; e 13 voos em 18, no dia 17).




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: