Lusa ao fundo


Os trabalhadores da Lusa concentram-se hoje frente à presidência do Conselho de Ministros para contestar a redução da indemnização compensatória do Estado em 2,6 milhões de euros. No comunicado em que apelam à participação no protesto de hoje e de amanhã, 4 de Novembro, frente à Assembleia da República, a Comissão de Trabalhadores, o Conselho de Redacção e os delegados sindicais esclarecem que pretendem ainda alertar para o facto de a agência de notícias nacional estar a funcionar em regime de duodécimos, em resultado da não assinatura do contrato para o triénio 2016/18, situação que decorre da intenção do Governo de redefinir o Contrato de Prestação de Serviço Noticioso e Informativo de Interesse Público.

O Grupo Parlamentar do PCP foi o primeiro a receber as Organizações Representativas dos Trabalhadores da Lusa, a pedido destas. Após a reunião, ocorrida dia 25 de Outubro, a deputada Diana Ferreira assegurou que o Partido vai pedir justificações sobre o corte previsto no Orçamento do Estado para 2017, e garantiu que o PCP defende os direitos dos trabalhadores da Lusa e o serviço público informativo.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: