CNA exige apoios à produção e novas políticas agrícolas

A Confederação Nacional da Agricultura/CNA reclama do Governo e demais órgãos de soberania a adopção de medidas que garantam melhores preços à produção de modo a salvaguardar a sobrevivência dos pequenos e médios agricultores.

Numa nota de dia 14, a direcção da confederação realça que apesar da seca se manter a «níveis muito preocupantes para o presente e para o futuro», as colheitas já efectuadas apresentam «quantidades e, sobretudo, qualidade apreciáveis». Apesar disso, denuncia a CNA, continua sem haver qualquer garantia de que os preços pagos à produção não só acompanhem as expectativas dos pequenos e médios agricultores como venham sequer a cobrir os elevados custos de produção por eles assumidos.

Após realçar que a importância do escoamento da produção a melhores preços é maior para as culturas permanentes do que para as temporárias e assume maior premência para os agricultores de menor dimensão, a CNA exige a adopção de legislação reguladora e a fiscalização sistemática da actividade comercial, e em particular dos hipermercados, de forma a que se reúna as «condições básicas e indispensáveis para melhorar o escoamento a preços justos à produção e reduzir os prazos de pagamento a fornecedores».

Nessa mesma nota, a confederação reclama mais apoios públicos aos agricultores afectados pelos incêndios e pela seca e quer que os orçamentos do Estado para 2018 e anos seguintes contemplem aumentos efectivos de verbas para o investimento na floresta nacional e em medidas de prevenção de fogos florestais.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: