• Gustavo Carneiro

Os comunistas apoiam o rumo definido pela Bielorrússia
PCB participa activamente na política bielorrussa

ENTREVISTA Andrei Krasilnikov e Ilona Bakun, chefe e vice-chefe do Departamento Internacional do Partido Comunista da Bielorrússia, estiveram na Festa do Avante! e deram a conhecer ao Avante! aspectos relevantes da situação naquele país e da actividade e organização do seu partido.

Os comunistas bielorrussos têm um importante papel na política do seu país, que continua a recusar qualquer aproximação à NATO e mantém importantes índices de desenvolvimento económico e social, em contraciclo com os países vizinhos.

Como avalia o vosso Partido a actual situação na Bielorrússia?

O Partido Comunista da Bielorrússia apoia o caminho apontado pelo Chefe de Estado, Alexander Lukashenko, para a construção de um Estado de orientação social. Gradualmente, ano após ano, estamos a fortalecer o potencial económico do país e a trabalhar arduamente para torná-lo forte e próspero. A Bielorrússia afirma-se crescentemente como um país interessante e aberto e caminha para garantir os interesses da maioria dos trabalhadores e do povo.

Que papel desempenha o PCB na sociedade bielorrussa?

O PCB participa activamente nos processos políticos, económicos e sociais em curso no país. No parlamento nacional há oito deputados comunistas e 309 membros do Partido têm assento nos conselhos de deputados locais, a todos os níveis. No que respeita à estrutura orgânica, o PCB está presente em todas as unidades territoriais, o que inclui seis organizações distritais e na cidade de Minsk, 118 concelhias, 23 municipais nas cidades distritais e em Minsk, 25 organizações de cidade e muitas organizações de base. O partido tem para cima de seis mil militantes, mais de metade com menos de 50 anos.

Para além da componente geográfica, qual a influência do Partido?

O PCB é o único dos 15 partidos políticos registados que publica o seu jornal, Os Comunistas da Bielorrúsia. Nós e o Tempo. Desde 2016 que estamos activos no trabalho de informação na Internet: juntamente com o sítio do Partido, www.comparty.by, modernizado em 2014, foram criadas contas nas redes sociais Vkontakte, Instagram e Twitter. Foi criada a Liga da Juventude Comunista e continuamos a interagir com a União da Juventude Republicana Bielorrussa. Ao mesmo tempo, verifica-se uma cooperação estreita entre o PCB e associações como a Organização Republicana de Veteranos, a União Bielorrussa de Oficiais, a União das Mulheres, a Associação de Pais de Famílias Numerosas, entre outras.

E a nível internacional, qual a participação do PCB?

O PCB participa activamente na União dos Partidos Comunistas – Partido Comunista da União Soviética [articulação de partidos de países da antiga URSS] mantém laços estreitos e produtivos com os comunistas russos, ucranianos e outros partidos comunistas do espaço pós-soviético. Além disso, ganhou prestígio entre o movimento comunista e operário internacional, o que é facilitado pela participação do PCB em reuniões internacionais, seminários, fóruns e conferências, assim como os contactos bilaterais com partidos irmãos.

Quais as prioridades actuais do PCB?

A actual fase de construção do Estado da Bielorrússia coloca-nos a tarefa de fortalecer o Partido e as suas estruturas orgânicas regionais entre as massas. A nossa posição sobre o fortalecimento e expansão da aliança entre forças patrióticas na luta pela democracia, a justiça social e o socialismo são muito importantes: a preparação das condições políticas, legais e económicas necessárias para o desenvolvimento da sociedade; a explicação inteligível da situação sócio-económica e sócio-política emergente; e a protecção dos interesses nacionais do Estado. O PCB defende os valores da justiça social e trabalho e não as actividades especulativas e financeiras.

Quais são os principais desafios colocados à organização partidária?

A formação de um sistema multi-partidário exige dos comités e organizações de base do PCB um trabalho orgânico sério para elevar o nível de cultura política geral da população e construir organizações partidárias em todas as regiões, de modo a aumentar a militância e atrair jovens para as nossas fileiras. A existência de organizações partidárias fortes, unidas e motivadas irá permitir a apresentação de candidatos para as eleições a qualquer nível e garantir a presença do Partido em todas as estruturas das comissões eleitorais. Só assim será possível alcançar bons resultados e participar activamente em todas as campanhas eleitorais, a começar pelas eleições que se avizinham para a Câmara de Representantes da Assembleia Nacional e Presidência da República.

Estruturas regionais fortes serão também um valioso recurso para servir os interesses do povo nos órgãos governativos de gestão autónoma pública, empresas de vários tipos de propriedade, instituições de educação, saúde, ciência e cultura, corpos executivos e administrativos das unidades administrativas e territoriais do país.

E no que respeita às organizações de massas?

É necessário melhorar e intensificar o trabalho político nos colectivos laborais, governos autónomos e órgãos de auto-gestão, mas também nos sindicatos, movimentos de trabalhadores, camponeses e patrióticos, organizações de artistas, mulheres, juventude, veteranos, apoio social e outras. A eficácia do trabalho partidário está sempre no centro da nossa atenção, para um aumento real do papel de vanguarda dos comunistas em todas as esferas da construção de um Estado moderno na Bielorrússia.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: