• Rui Braga
    Membro do Secretariado

Para o País avançar a sério exige-se outra política e outro governo
Por um Portugal com futuro! Por uma alternativa patriótica e de esquerda

Nestes três anos da nova fase da vida política nacional, que se iniciou em Outubro de 2015, deram-se passos positivos, com a contribuição decisiva do PCP e a luta dos trabalhadores e do povo, na melhoria das condições de vida que mostram a justeza da nossa intervenção de pôr fim a uma governação que estava a afundar o País e a arruinar a vida dos portugueses e que revelam que o País não estava condenado ao rumo de exploração e empobrecimento que lhe queriam e estavam a impor.

Passos que se traduziram na reposição e conquista de importantes direitos e rendimentos, extorquidos nos últimos anos, mas também de recuperação económica e social e que poderiam ter resultados mais expressivos e substanciais não fosse o conjunto de contradições que permanecem na vida política nacional, em resultado de uma governação que, nas suas opções políticas, continua a manter orientações nucleares da política de direita.

Nestes três anos provou-se que o País não está condenado a ter como caminho a liquidação de direitos ou o agravamento das condições de vida. Contudo, fica cada vez mais claro que para pôr o País a avançar, a avançar a sério, para dar solução aos problemas acumulados, se exige uma outra política e um outro governo.

Uma outra política e um outro governo dispostos a encetar um novo caminho – distinto do imposto e prosseguido nas últimas décadas –, capaz de assegurar os interesses nacionais. A luta pela concretização de uma política patriótica e de esquerda e de um governo que a realize assume-se como questão decisiva para dar resposta aos graves e persistentes problemas nacionais.

É num projecto alternativo, na política patriótica e de esquerda, que se deve mobilizar energias, fazer confluir vontades, acção e luta. A greve dos trabalhadores da Administração Pública, amanhã, é parte integrante dessa luta que precisa de continuar a crescer e avançar nas empresas, nos locais de trabalho, nas ruas, confluindo para a grande Manifestação Nacional, convocada pela CGTP-IN para o próximo dia 15 de Novembro, em Lisboa, pela exigência da valorização do trabalho e dos trabalhadores, pela defesa, reposição e conquista de direitos e rendimentos, pela exigência de medidas de combate à precariedade e ao desemprego. Esclarecer, mobilizar, organizar, participar é tarefa de todos nós.

Preparar o futuro
Reforçar o Partido

Tendo por objectivos essenciais o exame da situação económica e social do País, a identificação dos principais constrangimentos e as respostas necessárias para assegurar o seu desenvolvimento e a sua soberania, colocando o imperativo da alternativa patriótica e de esquerda para um Portugal com futuro, que o PCP propõe para o País, o Comité Central do PCP decidiu, na sua reunião de 29 e 30 de Junho de 2018, a realização de uma grande iniciativa. É neste âmbito que se realiza no próximo dia 24 de Novembro, em Setúbal, no Fórum Luísa Todi, a Conferência «Por um Portugal com futuro! Por uma alternativa patriótica e de esquerda».

Pelos seus objectivos e pelo momento em que se realiza, a Conferência, inserindo-se na acção geral do Partido, assume-se como elemento de maior relevo na projecção dos eixos centrais da acção e intervenção do PCP, na intensificação e desenvolvimento da sua acção política e no seu reforço, constituindo também um espaço de debate que permita dar a conhecer as soluções para o País e afirmar a verdadeira alternativa de que o País necessita.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: