Por refeições dignas no refeitório

Em Mem Martins (Sintra), os trabalhadores da Cerealto Foods fizeram greve e concentraram-se no exterior da empresa de produtos alimentares, no dia 24, durante a tarde, em luta por uma refeição digna no refeitório.

Promovido pelo Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos, e contando com a participação do Secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos (na foto), o protesto deveu-se a uma situação que se arrasta há anos.

Um dirigente do Sintab explicou à agência Lusa que, como a empresa assegura refeição no refeitório, por 45 cêntimos, os trabalhadores não recebem o subsídio de refeição, no valor diário de 7,50 euros. Mas «a empresa tenta poupar ao máximo e concessionou o refeitório a quem ofereceu o preço mais barato», disse Fernando Rodrigues, lembrando que a baixa qualidade da comida suscitou queixas e plenários, e muitos optaram por levar as refeições de casa, mas a empresa mantém a situação.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: