Corrida da Festa
Novo recorde de atletas na meta

Image 5583

Foram 1448 os atletas que cortaram a meta junto ao Largo da Atalaia, o que significa que a Corrida da Festa bateu este ano um novo recorde absoluto quanto ao número de corredores que a concluíram.

A prova rainha da Festa, vincadamente popular, com crédito firmados desde há muito, voltou assim a evidenciar a sua pujança e prestígio.

Qualidades indissociáveis da forma irrepreensível como uma vez mais decorreram todos os aspectos organizativos de uma prova que este ano foi objecto de inovações, nomeadamente em planos como o traçado, horário e distância.

Alterações que, tudo leva a crer, foram bem acolhidas pelos atletas, como é o caso de Luís Feiteira, do Maratona Clube de Portugal, vencedor absoluto, que cumpriu os dez mil e quinhentos metros com o tempo de 32 minutos e 35 segundos, e para quem o novo percurs é «claramente melhor».

Traçado que no fundamental se desenvolveu todo ele ao longo da bela Baía do Seixal, circundando-a, com os corredores de estrada, nessa manhã de domingo e maré cheia, a receberam a palavra encorajadora do muito público ali presente, numa interacção portadora de energia e estímulo.

Visivelmente satisfeito com o seu resultado, Luís Feiteira, em declarações exclusivas ao Avante!, reconheceu a importância da Corrida da Festa, onde vem «há vários anos», destacando nela o facto de se realizar entre o fim e o início de uma nova época. «É um teste às pernas, à forma como o trabalho está a evoluir, ao modo como o corpo está a reagir», concluiu.

Avaliação à prova em tudo idêntica faz também Ana Ferreira, 22 anos, do Grupo Desportivo Estreito, Madeira, vencedora feminina, com o tempo de trinta e nove minutos e quarenta e um segundos.

Também ela, que repetiu pelo segundo ano a proeza de ocupar o primeiro lugar do pódio - e que nos confessou estar a trabalhar afincadamente para «evoluir como atleta» -, considera a Corrida da Festa «uma boa prova para testar o nível físico», destacando, ainda, para além da «boa organização», o «ambiente de camaradagem e convívio que envolve todos os participantes».

Numa prova onde o que conta mesmo é a participação, e onde o grande vencedor é o «espírito fraterno e a alegria que se cria no alcatrão», como salientou à chegada Geraldo Lourenço, do Clube de Praças da Armada, que nunca faltou a uma Corrida da Festa, não admira por isso que o último a cortar a meta tenha sido recebido de forma calorosa e solidária.

Adelino Barros, assim se chama, de 47 anos, da Associação Cultural e Desportiva do Calvelo (Ponte de Lima), em declarações ao Avante! acabou por revelar a sua fibra de atleta ao salientar que ao longo do percurso nunca lhe passou pela cabeça desistir, apesar da «lesão antiga» que agora o atraiçoou (contractura num dos gémeos), fazendo com que tivesse de «percorrer cerca de sete quilómetros da prova em ritmo de marcha em vez de corrida».



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: