Intelectuais contra a resignação

Conforme o Avante! noticiou na semana passada, foi lançado o manifesto Por um novo rumo, intelectuais do Porto contra a resignação, num jantar promovido pelo Sector Intelectual do Porto do PCP, que contou com a presença de mais de uma centena de pessoas. O texto, que já reúne sessenta subscritores e continua aberto à adesão de mais intelectuais, inicia-se com a afirmação de que a crise «não é uma fatalidade». Antes «tem causas, responsáveis, soluções», resultando, em primeira instância, de um sistema económico e social «iníquo, gerador de crises cíclicas que só a superação do próprio sistema pode erradicar».

 No manifesto, acusa-se as forças partidárias que há 34 anos governam Portugal pela dimensão que a crise atingiu no País, «e cujos resultados estão à vista: um nível de desigualdade social sem precedentes, pobreza e desemprego galopantes, precariedade laboral, devastação ou atrofia do aparelho produtivo e assimetrias regionais de que o Porto é um gritante exemplo». O manifesto termina com o compromisso dos subscritores de não se resignarem, proclamando a necessidade de «soluções efectivas para a crise, através de um novo rumo político que só a firmeza e tenacidade da luta de quem trabalha lograrão impor».

Alfredo Maia, Armando Alves, Álvaro Siza Vieira, Ilda Figueiredo, José António Gomes, José Luís Borges Coelho, Manuel Loff, Mário David Soares e Óscar Lopes são alguns dos signatários. O documento pode ser subscrito em www.porto.pcp.pt.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: