PCP debateu cultura

O PCP recebeu, segunda-feira, na Assembleia da República, vários agentes culturais para uma reunião pública sobre os cortes anunciados pela ministra da Cultura. Da reunião, realizada horas antes de ser conhecida a decisão do Governo de recuar nesta matéria, ressaltou a ideia de que estes cortes se inserem numa estratégia mais global que tem sido aplicada nos últimos anos de desinvestimento no sector cultural. As consequências desta política estão à vista, patentes no agravamento das condições laborais dos trabalhadores, bem como de funcionamento, independência e até mesmo sobrevivência de inúmeras estruturas e agentes culturais.

Ficou também clara a convicção de que o Estado tem responsabilidades constitucionais perante a cultura e que os cortes anunciados eram inaceitáveis e deviam ser – como foram! – combatidos. Participaram no encontro representantes da Associação de Imagem Cinema e Televisão Portuguesa, CENDREV, Companhia de Teatro de Almada, Dotes e Letras, Grupo Teatro Sociedade Dramática de Campolide, Procur.Arte, Sindicato dos Músicos, Sindicato dos Trabalhadores dos Espectáculos, Teatro Elefante, Teatro Extremo, Teatro Fórum de Moura, Teatro Rainha e, individualmente, diversos trabalhadores das artes e espectáculos.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: