Berlusconi ameaça antecipar eleições

O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, ameaçou, dia 4, organizar eleições antecipadas no primeiro incidente com o grupo de deputados, liderado por Gianfranco Fini, que rompeu com o Partido da Liberdade (PDL), deixando o governo em minoria.

«A esperança de recompor a maioria existe, mas caso contrário, no primeiro incidente sério, deveremos pedir aos italianos que voltem às urnas (…). Descansemos, recarreguemos as nossas baterias neste Verão e preparemo-nos para as eleições», declarou Berlusconi algumas horas depois de ter escapado a uma moção de censura no parlamento, graças à abstenção do grupo dissidente e de outros três pequenos partidos, que optaram por um compasso de espera antes de derrubar o governo.

Deste modo, a moção foi rejeitada por 299 votos (os do PDL e seu aliado, a Liga do Norte), 75 abstenções (os dissidentes do PDL e os centristas) e 229 a favor dos deputados da oposição de esquerda, principalmente do Partido Democrático.

Na mesma semana, il cavalieri foi ainda mais longe no desafio a Fini, prometendo apresentar em Setembro uma moção de confiança em torno de um programa de reformas nas áreas da justiça, fiscalidade, federalismo e ajudas ao Sul do país.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: