O desemprego e a precariedade afectam indirectamente as crianças
Porto debateu direitos das crianças

PROPOSTAS A DORP do PCP lançou no distrito a acção «Crianças e Pais com Direitos», numa iniciativa pública que decorreu no Parque da Cidade, no Porto, no passado dia 23 de Agosto.

Diana Ferreira, deputada do PCP na Assembleia da República, começou por apresentar as várias iniciativas do Grupo Parlamentar do PCP na defesa dos direitos das crianças. Trata-se de propostas que visam garantir uma infância feliz, melhorar e valorizar o pré-escolar e o 1.º ciclo do Ensino Básico e assegurar a plenitude dos direitos de maternidade e paternidade.

De seguida, coube a Nuno Coelho, dirigente sindical, referir que a desregulação de direitos e as alterações da lei laboral criam mais dificuldades ao aumento da natalidade e ao acompanhamento dos filhos por parte dos pais. O sindicalista deu, em seguida, exemplos concretos das muitas situações vividas nas empresas e locais de trabalho do distrito que objectivamente colocam em causa o direito das crianças e jovens a cresceram felizes.

Jaime Toga, da Comissão Política do Comité Central, falou dos avanços alcançados com a nova correlação de forças existente na Assembleia da República e de como muitos deles incidem sobre o dia-a-dia dos mais novos. O dirigente comunista afirmou, entre outras questões, que «o pré-escolar público foi alargado às crianças de quatro anos; meio milhão de crianças do 1.º ao 6.º anos passarão a ter manuais escolares gratuitos; os abonos de família viram os seus montantes valorizados e majorados, e foi reposto o 4.º escalão para os menores de três anos».

Estes avanços, destacou, só foram possíveis com a acção, a iniciativa e a intervenção activa do PCP. Jaime Toga referiu ainda outras propostas do PCP para que todas as crianças cresçam saudáveis e felizes.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: