Batalha pela mobilidade

O PCP promoveu, nos passados dias 17 e 18, acções de contacto e esclarecimento junto dos utentes da Fertagus, as quais consistiram na distribuição de um documento relativo ao fim da concessão da ligação ferroviária entre Lisboa e Setúbal.

«Com o fim da PPP, ganhariam os utentes, que veriam mantida a qualidade do serviço e pagariam menos pelo mesmo serviço; os trabalhadores da Fertagus, que seriam integrados na CP e na EMEF, melhorando as suas condições de trabalho e os seus rendimentos; ganharia o País, que deixaria de ser esbulhado em milhões de euros. Com o fim da PPP com a Fertagus ganhariam todos menos o dono da Barraqueiro, o único que hoje ganha», explica-se no comunicado entregue em mão.

«Com o fim do contrato em 2019 o Governo do PS não só tem todas as condições para interromper este processo de esbulho de recursos públicos», como para promover «a utilização do transporte público» e descongestinar «a rede viária e a Ponte 25 de Abril, com enormes benefícios económicos, ambientais e para a qualidade de vida das populações», acrescenta-se.

Nas iniciativas, aproveitou-se ainda para recordar que, no dia 17 de Outubro, foi discutido na Assembleia da República um projecto de resolução apresentado pelo PCP no qual se defende justamente o fim da concessão da exploração comercial daquela linha ferroviária por parte da Fertagus (ver página 14).




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: