PCP na primeira linha em defesa dos serviços públicos

O PCP acompanhou a concentração de utentes da saúde, realizada no passado dia 19, contra o encerramento da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados e dos Serviços de Atendimento a Situações de Urgência (SASU) de Soares dos Reis, que serve a maioria dos habitantes de Mafamude, Vilar do Paraíso e Santa Marinha.

Em comunicado emitido no início da semana passada e divulgado à população e aos presentes no protesto, a Comissão Concelhia de Vila Nova de Gaia nota que a concentração dos cuidados de saúde em Vilar de Andorinho, concretizada no último mês, provoca graves constrangimentos. Ao nível da mobilidade dos utentes, nomeadamente, considerando as insuficiente ligações por transportes públicos, sobretudo à noite.

Motivo de preocupação são igualmente o previsível agravamento da carência de médicos de família e o comprometimento do socorro de emergência, uma vez que não resulta claro que o SASU no novo centro de saúde tenha capacidade para dar resposta a todos os gaienses.

«Os utentes têm razão para se sentir revoltados e indignados com este encerramento [da responsabilidade do Governo] e com a falta de respeito por parte dos responsáveis da autarquia, que não os envolveu nem informou», diz-se no folheto distribuído pela organização comunista, que precisa que «as pessoas só ficam a saber do encerramento quando procuram os serviços», o que continua a suceder.

Na quinta-feira, 18, e conforme garantido no texto do PCP, os deputados do Partido na Assembleia da República eleitos pelo círculo do Porto questionaram o Ministério da Saúde sobre a situação, e sublinharam que ela «é agravada com o encerramento do SASU dos Carvalhos, que servia a Freguesia de Pedroso e Grijó, Sermonde, Perosinho, Serzedo, Seixezelo, Lever, Crestuma, Olival e Sandim».

«Para o PCP, a defesa do dierito à Saúde e o acesso aos cuidados de saúde primários é inseparável de um SNS que preste cuidados de qualidade e de proximidade», sublinham ainda os eleitos do PCP, que pretendem que a tutela esclareça os motivos que presidiram ao encerramento da UCSP e SASU de Soares dos Reis e do SASU dos Carvalhos, que avaliação faz o Governo dos encerramentos e que medidas pretende tomar para garantir cuidados de saúde primários de proximidade a todos os utentes de Vila Nova de Gaia.

Alerta em Vila Verde

Na primeira linha da luta em defesa dos serviços públicos e funções sociais estão, também, os comunistas de Vila Verde, distrito de Braga. Em comunicado divulgado anteontem, a Comissão Concelhia denuncia a intenção de encerramento dos CTT de Vila de Prado.

No texto distribuído durante uma acção de contacto com a população, adverte-se que o fecho estava «a ser preparado pela “calada da noite”. Não fosse a denúncia levada a cabo pelo PCP e nenhum dos utentes, nem sequer os trabalhadores daquela Estação, teriam conhecimento desta gravosa decisão».

A organização partidária «apela à luta dos utentes» pela manutenção em funcionamento da estação dos correios em Vila de Prado e contra quaisquer medidas que visem a sua transferência para outro edifício ou para a responsabilidade das autarquias. Isto porque, refere o comunicado, «passar a estação para a responsabilidade da Câmara Municipal ou da Junta de Freguesia não defende os direitos dos utentes, nem os interesses da região».

O caminho necessário para inverter a degradação do serviço prestado pelos CTT passa por «exigir a reposição dos CTT no sector público do Estado», pelo que urge não só lutar contra o encerramento, mas também «denunciar as consequências negativas da privatização» do serviço postal, conclui-se.




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: