Alternativa patriótica e de esquerda é crucial para o futuro do País
PCP com acção de esclarecimento e mobilização pela alternativa

ESCLARECER O PCP arrancou esta terça-feira, 23, com uma Acção Nacional de esclarecimento e mobilização dirigida aos trabalhadores e ao povo.

Sob o lema «PCP – Alternativa patriótica e de esquerda. Por um Portugal com futuro!», e privilegiando o contacto directo com as pessoas, este conjunto de acções de rua está a decorrer em todo o País acompanhado de cartazes e da distribuição de um folheto.

A marcar o seu lançamento realizaram-se acções, anteontem, em Valongo e no Laranjeiro (Almada), com a presença, respectivamente, dos membros da Comissão Política do CC Jaime Toga e Manuel Rodrigues. Destaque, ainda, no caso do distrito de Santarém, para os contactos com trabalhadores das Indústrias Carnes Nobre (Rio Maior), Sumol+Compal, (Almeirim), Sonae Carnes (Santarém) e João de Deus (Samora Correia, Benavente).

Na acção em curso, a par da valorização dos avanços nos direitos e rendimentos alcançados nos últimos anos por via da luta dos trabalhadores e do povo, e pela intervenção do PCP, é simultaneamente posto em evidência o quadro de limitações que resulta das opções do governo PS e da subordinação aos interesses do grande capital, da UE e do euro, factores que impedem a resposta plena aos problemas nacionais.

No folheto em distribuição são pormenorizados alguns dos «avanços possíveis» por acção do PCP na proposta de Orçamento do Estado para 2019, como sejam: «o aumento das pensões de reforma; a extinção da colecta mínima no PEC; manuais escolares gratuitos nos 12 anos de escolaridade obrigatória; o alargamento do abono de família; o apoio extraordinário a desempregados de longa duração; a redução nos custos dos transportes públicos para os utentes».

A necessidade de afirmar a alternativa patriótica e de esquerda, como questão crucial para o desenvolvimento do País, está igualmente muito presente nesta acção. Uma política alternativa assente na promoção do investimento produtivo e da produção nacional, pautada por objectivos como: a superação dos graves problemas sociais e desigualdades; valorização do trabalho e dos trabalhadores; melhoria dos serviços públicos; recuperação da soberania monetária e libertação do País da subordinação ao euro; renegociação da divida.

Denunciando a convergência entre PS, PSD e CDS que mantém normas gravosas da legislação laboral, no folheto – e porque a mobilização e a luta dos trabalhadores é decisiva - apela-se ainda à participação de todos na Manifestação Nacional da CGTP-IN para o próximo dia 15 de Novembro.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: