Luz Saúde viola Constituição

Dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal – CESP, foram impedidos de contactar com os trabalhadores do Hospital da Luz, no passado dia 6. Em nota à comunicação social, o sindicato afirma que não abdica de exercer o direito de acção e organização sindical conquistado com a Revolução de 25 de Abril e agendou para ontem nova deslocação ao Hospital da Luz.

O CESP destaca que o Luz Saúde procura impedir a acção sindical porque não quer que os trabalhadores reivindiquem direitos como o pagamento de subsídio mensal de turno, de 100 por cento sobre a retribuição pelo trabalho em dia feriado ou de descanso, e do complemento do complemento de subsídio por acidente de trabalho; dois dias de descanso semanal e o fim dos descontos efectuados por faltas justificadas.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: