Repor transportes em Leiria

«A Direcção da Organização Regional de Leiria (DORLEI) do PCP alerta para as consequências de supressão total ou parcial de inúmeras carreiras de transportes públicos rodoviários, imposta pelos operadores privados», acarretando «sérios problemas na mobilidade dos trabalhadores e populações da região».

Em comunicado divulgado dia 25, a estrutura partidária lembra que «tal situação configura o não cumprimento do serviço público a que estes operadores estão obrigados, representa perigos para as condições de saúde pública em que é prestado o serviço de transporte rodoviário, e, ao mesmo tempo, impõe a abusiva redução dos salários dos trabalhadores destas operadoras, devido à situação de lay-off em que continuam».

Exemplos do que está em causa são «a redução das chamadas “ligações rápidas” a Lisboa, a partir das Caldas da Rainha e de Peniche», e a «supressão, quase na totalidade, a pretexto do encerramento das escolas, de ligações concelhias ou inter-concelhias», denuncia a DORLEI, para quem é «inaceitável que num quadro de progressiva retoma das actividades económicas determinada pelo Governo, e de regresso ao trabalho de milhares de trabalhadores, os operadores rodoviários de transporte de passageiros se escusem a cumprir a sua função».

A DORLEI do PCP conclui, por isso, reivindicando «a reposição de todas as ligações rodoviárias existentes antes do confinamento provocado pelo surto epidémico» e o regresso de todos os trabalhadores cujos contratos foram suspensos.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: