Delegação comunista reuniu com a FNAJ

A Juventude Comunista Portuguesa promoveu, no dia 11, uma reunião com a Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ), organização que representa cerca de 1000 associações de todo o País e que comemorou, este mês, o seu 24º aniversário. No encontro, realizado à distância, participaram o presidente da Direção da FNAJ, Tiago Manuel Rego, a vice-presidente Cátia Camisão e o vogal da Direção, João Diogo Carlos. A delegação do PCP era constituída por Mónica Mendonça, da Direcção Nacional da JCP, Alma Rivera, deputada à Assembleia da República e membro do Comité Central, e João Frazão, membro da Comissão Política do Comité Central.

Pedida pelo PCP no seguimento da publicação de um Manifesto Associativo por parte daquela estrutura federativa, na reunião foram abordados diversos temas, desde a situação laboral aos impactos do surto epidémico na saúde mental dos jovens. Os dirigentes da FNAJ sublinharam as dificuldades no ensino à distância por falta de meios das famílias, levando a que algumas associações tenham decidido intervir procurando suprir as carências.

A situação laboral da juventude foi outra das grandes preocupações levantadas, uma vez que já se fazem sentir nas famílias os efeitos dos despedimentos e dos cortes nos rendimentos, contribuindo para um retrocesso na emancipação das camadas mais jovens, que vêem cada vez mais distante a perspectiva do início de projetos de vida autónomos.

Sobre a situação particular das associações juvenis, a FNAJ traçou um cenário de urgência de medidas incisivas por parte do Governo. Com a actividade presencial totalmente suspensa e as sedes e espaços encerrados, deixaram de conseguir gerar receitas próprias. No entanto, as despesas de funcionamento mantêm-se e 20 por cento das associações representadas pela FNAJ têm trabalhadores a seu cargo, a quem importa garantir salários e direitos. Acresce a incerteza relativamente ao Programa de Apoio ao Associativismo Juvenil, sendo necessária flexibilidade e conversão dos projectos sujeitos a financiamento.

Dada a urgência da situação, o Grupo Parlamentar do PCP dirigiu ao Governo várias questões, com o propósito de aferir que informações e apoios estão a ser disponibilizados pelo Instituto Português do Desporto e da Juventude, e que outras medidas estão a ser consideradas.



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: