A Escola Pública, Gratuita e de Qualidade pela qual lutamos é expressão dos valores de Abril
Jerónimo de Sousa em debate com alunos da E.S. de Penafiel

INICIATIVA O Secretário-geral do Partido foi o convidado do ciclo de debates «Encontros com Sentido. A escola e os jovens num Portugal com futuro», realizado na Escola Secundária de Penafiel, na manhã de dia 16.

Perante uma plateia de cerca de 300 jovens, que seguiram a exposição inicial e as respostas às diversas perguntas com toda a atenção e interesse, Jerónimo de Sousa abordou a importância da Escola Pública e aspectos da participação juvenil, bem como questões decorrentes da nova fase da vida política nacional.

Jerónimo de Sousa começou por lembrar que os comunistas não desligam a «Escola Pública que temos, com os seus defeitos, com as suas insuficiências e com os seus problemas, da luta dos povos pelos direitos, dos avanços conquistados ao longo da história, dos avanços progressistas que os trabalhadores e os povos conseguiram no século XX e particularmente da nossa Revolução de Abril, cujos valores estão bem vivos no povo português».

«A Escola Pública, Gratuita e de Qualidade que queremos e pela qual lutamos, é bem a expressão desses valores de Abril, de uma Revolução que afastou o fascismo e acabou com os privilégios», afirmou o dirigente comunista na iniciativa organizada pelo Departamento de Ciências Sociais da E.S. de Penafiel.

Conversa fluída

Respondendo a perguntas diversas, o Secretário-geral do PCP fez um balanço geral à nova fase da vida política nacional, notando que esta «confirma o quão justa foi a opção de impor o afastamento do PSD e do CDS e de iniciar um caminho de reposição, defesa e conquista de direitos». Sinalizou, neste contexto, alguns dos avanços concretos verificados, designadamente para a juventude: distribuição gratuita dos manuais escolares, agora até ao 12º ano; redução do número dos alunos por turma; reposição do apoio para visitas de estudo aos estudantes do Escalão B da Acção Social Escolar; reposição do passe escolar; início do combate à precariedade; congelamento dos valores mínimos e máximos das propinas, ao fim de 2 décadas; alargamento do Abono de Família.

Jerónimo de Sousa aproveitou, ainda, para lembrar que esses «avanços são limitados, porque decorrem das opções políticas do PS de enfeudamento às orientações e ditames da UE, do Euro e do grande capital, como de novo se confirma na proposta de Orçamento do Estado para 2019».

Secretário-geral do Partido e alunos dos 10.º, 11.º e 12.º anos do Ensino Secundário, concordaram que, perante o preocupante crescimento de forças de extrema direita, a juventude saberá afirmar e partilhar os valores da solidariedade, da fraternidade e da paz», que são os que prevalecem entre esta e são «fundamentais para assegurar, no nosso país, um rumo de progresso, recusando a ascensão das ideias fascizantes que têm medrado, seja no Brasil, seja em diversos países da Europa».




 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: