O voto da CDU tem um duplo valor, local e nacional
Domingo é na CDU
Um voto de luta e de construção do futuro

O voto na CDU nas eleições autárquicas de domingo é a mais sólida garantia de ter nos concelhos e freguesias eleitos que trabalham em prol do desenvolvimento e da qualidade de vida das populações. Mas é também uma forma de dar mais força à luta do povo contra a política das troikas, apoiando e reforçando aqueles que mais consequentemente a combatem. 

Image 14219

Faltam poucas horas para o fim da campanha para as eleições autárquicas do próximo domingo. Em todo o País, e até ao último instante, os candidatos e activistas da CDU estarão a fazer o que melhor sabem (e que têm feito nas últimas semanas e meses): levar por diante uma campanha de mobilização e esclarecimento, contactando com as pessoas, olhos nos olhos, ouvindo as suas queixas e os seus anseios, dando a conhecer propostas e soluções e afirmando o projecto da CDU, comprovado em dezenas de concelhos e freguesias com elevados índices de qualidade de vida.

De facto, como tem afirmado Jerónimo de Sousa nas múltiplas iniciativas em que tem participado – e como certamente dirá naquelas em que marcará presença até amanhã à noite –, o reforço das posições da CDU, com mais votos e mais eleitos, significará «mais capacidade de resolução dos problemas locais» e mais força à luta das populações em defesa das suas freguesias, das suas escolas e dos seus centros e serviços de Saúde, alvos do mais feroz ataque desde os tempos do fascismo. Aliás, como também tem lembrado o Secretário-geral do PCP, nas várias acções de luta realizadas um pouco por todo o País em prol destes e de outros serviços públicos, são os candidatos e activistas da CDU, e não outros, que as populações encontram ao seu lado. Como são os seus eleitos que, nos diversos órgãos em que estão representados, assumem estas causas e as transformam em propostas e, tantas vezes, em soluções.

«Este é o momento de colocar o poder local em mãos seguras, mas também de o defender enquanto conquista de Abril, fazendo eleger os seus mais firmes e decididos defensores – a CDU», afirmou Jerónimo de Sousa, lembrando que o brutal ataque que está em curso contra o poder local (patente na asfixia financeira e na liquidação de freguesias) não são só as autarquias e os eleitos a serem atingidos, mas sobretudo as populações e a sua qualidade de vida. Este ataque ao poder local (mas também à educação e à saúde públicas) intensificou-se com a assinatura, pelo PS, PSD e CDS, do pacto de agressão, mas começara já antes, durante o governo do PS/Sócrates. Por isso, alertou, «bem pode o PS, agora que se avizinham eleições, armar-se em força da oposição ao actual Governo, quando de facto desenhou e caucionou a ofensiva em curso».

Mais força à luta

Se as eleições autárquicas do próximo domingo terão um evidente impacto local, não é menos verdade que, num momento como aquele que o País atravessa, não deixarão de influenciar o curso do País. Nas diversas iniciativas em que participou, Jerónimo de Sousa insistiu nesta ideia realçando que se o voto na CDU «serve para eleger homens, mulheres e jovens dedicados à causa das populações em cada freguesia e em cada concelho, ao mesmo tempo serve para isolar os protagonistas da política de direita e dar força a uma exigência de mudança no País».

Somando mais razões às muitas que as populações já têm para apoiar a CDU, Jerónimo de Sousa garantiu que esse é um voto que «vale a dobrar», que serve para reforçar os que «não se resignam, seja no poder local, seja no plano da intervenção geral perante um programa de violenta exploração dos trabalhadores e empobrecimento do nosso povo». Sendo este um momento de «eleger gente séria e competente para as autarquias locais, gente com provas dadas», as eleições do próximo domingo constituirão também, salientou o dirigente comunista, a oportunidade de «penalizar com o voto de cada um aqueles que contribuíram quer com a sua decisão, quer com a sua empenhada execução, para arruinar a vida dos portugueses que trabalham, que vivem de uma reforma, de pensão, dos pequenos e médios empresários, dos jovens que não vêem uma solução de futuro para as suas vidas».

 

A crescer

 Esta última semana de campanha eleitoral confirmou o que já vinha sendo sentido: o crescimento da CDU e a afirmação das suas propostas para cada concelho e freguesia e do seu projecto para um Portugal soberano, justo e desenvolvido. Nas páginas seguintes, testemunhamos esse crescimento, expresso tanto nas grandes iniciativas de rua em municípios de considerável influência da Coligação, como em acções de contacto em muitos locais onde, com poucos e mesmo sem qualquer eleito, a CDU insiste na defesa das populações, dos serviços públicos e do poder local democrático.

Em algumas destas iniciativas participou Jerónimo de Sousa, sobretudo nos distritos de Setúbal, Lisboa, Évora e Beja, mas também no Porto, em Braga, em Leiria e em Viana do Castelo. O Secretário-geral do PCP estará hoje em Coruche, Santarém e Alpiarça e amanhã participa em acções em Setúbal, Seixal, Lisboa, Almada e Loures.

 



 Versão para imprimir            Enviar este texto            Topo

Outros Títulos: