Proposta de OE para 2014
Um orçamento de classe

A proposta de Orçamento do Estado para 2014, apresentada pelo Governo PSD/CDS, é, além de um descarado e flagrante assalto aos trabalhadores, reformados, e pensionistas, um passo mais na reconstituição de privilégios para grandes grupos económicos e monopólios e no enfraquecimento da já débil democracia portuguesa.



Centenas de milhares de pessoas
na jornada da CGTP-IN

Nas pontes por Abril<br>rumo a futuro melhor

Em Lisboa e no Porto, no passado sábado, centenas de milhares de trabalhadores, reformados, desempregados, mulheres, jovens, das diferentes áreas da Administração Pública, de empresas da indústria e de serviços, do litoral e do interior, saíram à rua e passaram as pontes sobre o Tejo e o Douro, numa intensa e vibrante jornada «Por Abril, contra a exploração e o empobrecimento». Expressaram firme determinação de prosseguir a luta, para derrotar o Governo, a «troika» agiota e a política de direita, para alterar o caminho para o desastre e para conseguir uma alternativa que coloque o País no rumo de um futuro melhor, traçado na revolução de 25 de Abril de 1974.



Na Ponte 25 de Abril
passou a exigência de mudança

Pôr o Governo na rua

Nas centenas de autocarros, nos carros de som, nas vozes e nos rostos de homens, mulheres e jovens que se manifestaram na zona de Alcântara, foi evidente a determinação de prosseguir a luta para mudar de Governo e de política, única forma de cortar pela raiz os justos motivos do protesto popular.



Dezenas de milhares na Ponte do Infante
Jornada extraordinária a Norte

«Magnífico» e «extraordinário» eram alguns dos adjectivos empregues, com frequência, nas conversas entre aqueles que, no sábado à tarde, iam chegando à Praça da Liberdade, no Porto, para descreverem a manifestação que integravam e cuja «cauda», na altura, ainda se encontrava na Ponte do Infante, saída de Vila Nova de Gaia.



Com mais força depois das pontes
A luta não pára

As grandes acções do passado dia 19, em Lisboa e no Porto, dão mais força à luta que continua já nos próximos dias: a 1 de Novembro há concentração junto à Assembleia da República.



Defender o futuro na Madeira

Açorianos contra a exploração

PCP com os trabalhadores

Este OE não pode passar!

Abril é a alternativa